MAGODALUZ

Casa da Luz
Cursos
Agenda
Atendimentos Gratuitos
Indicador Profissional


Fraternidade Branca
Mestres Ascensionados
Implantes
Cromoterapia
Chakras
Dimensões de Consciência
Manual para Ascensão
Corpo de Luz
O Rosto do Anjo
Kryon
O Caibalion
Atlantida
Crianças Índigo
Elementais da Natureza
Crianças Cristal
Mantras

O Homem perto da Janela

Dois homens seriamente doentes ocupavam o mesmo quarto em um hospital. Um deles ficava sentado na sua cama por uma hora, todas as tardes para conseguir
drenar o líquido de seus pulmões.

Sua cama ficava próxima da única janela existente no quarto. O outro homem era obrigado a ficar deitado de bruços em sua cama por todo o tempo.

Eles conversavam muito. Falavam sobre suas mulheres e suas famílias, suas casas,
seus empregos, seus envolvimentos com o serviço militar,
onde costumavam ir em suas férias, etc.

E toda tarde quando o homem perto da janela podia sentar-se, ele passava o tempo descrevendo ao seu companheiro, todas as coisas que ele podia ver através da janela.

O homem na outra cama começou a esperar por esse período, onde seu mundo era ampliado e animado pelas descrições do companheiro.

Ele dizia que da janela dava para ver um parque com um lindo lago.
Patos e cisnes brincavam na água, enquanto as crianças navegavam seus pequenos barcos. Jovens namorados andavam de braços dados no meio das flores e, estas possuíam todas as cores do arco íris. Grandes e velhas arvores cheias de elegância faziam parte da paisagem.

Quando o homem perto da janela fazia as suas descrições, ele as fazia de
modo primoroso e delicado, com detalhes e o outro homem fechava
seus olhos e imaginava a cena pitoresca.

Uma tarde quente, o homem perto da janela descreveu que havia um desfile na rua e embora ele não pudesse escutar a música, ele podia ver e descrever tudo.

Dias e semanas se passaram. Em uma manhã a enfermeira do dia chegou trazendo água para o banho dos dois homens, mas achou um deles morto. O homem que ficava perto da janela morreu pacificamente durante o sono, os atendentes do hospital foram chamados para levarem o corpo embora.

Assim que julgou conveniente, o outro homem pediu à enfermeira que mudasse sua cama para perto da janela. A enfermeira ficou feliz em poder fazer este favor ao paciente e, depois de verificar que ele estava confortável, o deixou sozinho no quarto.

Vagarosamente, pacientemente, ele se apoiou em seu cotovelo para conseguir olhar pela primeira vez pela janela. Finalmente ele poderia ver tudo por si mesmo.

Ele se esticou ao máximo, lutando contra a intensa dor para poder olhar através
da janela e quando conseguiu faze-lo, deparou-se com um muro branco.
Um imenso muro! Completamente branco!

Chocado, chamou a enfermeira, perguntando a ela, o que teria levado seu companheiro a descrever-lhe coisas tão lindas. Todos os dias!
Se pela janela só dava para ver um enorme e frio muro branco!

A enfermeira, meio que sem ação, respondeu que aquele homem era cego!
E não poderia ver nada mesmo que quisesse.
Talvez ele apenas estivesse pensando em distrai-lo e alegra-lo um
pouco mais com suas estórias.

“Autor desconhecido – se você conhecer o autor, informe-nos,
para que possamos colocar o crédito”

É impressionante o nosso mental.
Mais impressionante ainda é o que podemos fazer com ele, o que podemos plasmar a cada momento para nossas vidas e para a vida dos que nos cercam.

Podemos representar para nós mesmos e, para o mundo que nos cerca, alegria! Ou não!
Seja qual for a nossa situação, podemos ser felizes! Ou não!
Podemos sorrir e fazer sorrir! Ou não!

Quando dividimos os nossos problemas, com os que nos cercam, estamos na verdade em nosso mais profundo inconsciente, nos livrando da metade deles.
Temos nestes momentos, a sensação de ficarmos mais leves!

Mas, quando dividimos felicidade, amor, alegria, criamos o milagre da duplicação!

A vida é, sempre foi e sempre será aquilo que dela fizermos.
Somos o resultado daquilo que acreditamos ser!

A meu ver, a nossa única missão neste plano, é nos tornarmos conscientemente
aquilo que potencialmente, por natureza já somos. luz!

Portanto, sejamos felizes!
E, criemos no mundo que nos circunda, felicidade!

Que possamos ser mais amigos de nós mesmos, que possamos nos amar um pouco mais a cada dia. Assim construiremos a felicidade que nos servirá de base para uma vida melhor. Dessa forma, evidenciaremos e revelaremos ao nosso mundo,
o Deus que há dentro de nós!

Luz em nossas vidas!

Amigo (a) precisamos de sua colaboração na divulgação desse site a seus amigos.
Muito obrigado e muita Luz em sua vida!

Palermo & Amigos

Assumindo a nossa imortalidade

Construindo um Ideal  

Interior & Exterior  

Paz  

Cansaço  

Sacrifício e Sofrimento  

Recuperando nossa Mente  

Quinta Dimensão  

Religiosidade e Religião 

Pensamentos e Palavras  

Realidade ou Ilusão  

Não basta viver! 

Ambição  

Eu quero ser eu mesmo!  

Ponto de partida

Tempos de mudanças

Faça tudo diferente

Não fazer planos

Ansiedade

Agora

Reforma Comportamental

Amor

Culpa

Determinação

Merecimento

Eu sou!

Autoestima

Saber acordar

Luz e Escuridão

Nosso medo

Compromisso

O Caminho

Momento Certo

Leveza

Muitas Moradas

Não estrague seu dia

Ação e Reação

A escolha é sempre Nossa!

Reciprocidade

Vício

Paz Profunda

O Pai e o Filho na Montanha

Amar primeiro

Semeia, semeia!

Semear

Penas no caminho

Revolução da alma

Humildade para Aprender

O viajante

Você que veio das Estrelas

O que as mulheres querem?

Pastel, guaraná e Deus

Segurando um ao outro

Partida e chegada

Tem pão velho?

O homem perto da janela

O Momento é de Cura

Quem somos nós?

Autoestima 2

Seres Evoluídos

Somos dois seres  

Amor, sonho e medo

Esvaziamento de Carma

Começa a Magia

Livre Arbítrio  

Páscoa e Chocolates

Lei da Abundância 

Água  

Sofrimento & Evolução

Verdade

Carma

O velho contra o novo

Atendimento em sessões individuais em Santos.
Av. Ana Costa nº 484 - cj 1020. Santos/SP.
Tel.: (13) 3289.1230



 
Se algum link do site não abrir fale comigo pelo email - estilonet@estilonet.com.br
Estilonet