MAGODALUZ

Casa da Luz
Cursos
Agenda
Atendimentos Gratuitos
Indicador Profissional


Fraternidade Branca
Mestres Ascensionados
Implantes
Cromoterapia
Chakras
Dimensões de Consciência
Manual para Ascensão
Corpo de Luz
O Rosto do Anjo
Kryon
O Caibalion
Atlantida
Crianças Índigo
Elementais da Natureza
Crianças Cristal
Mantras
O Rosto do Anjo
Autora: Maria Del Socorro Pérez
Canal: Maria Del Socorro Pérez


Ao final dos tempos de uma humanidade, o Rosto do Anjo se vislumbra em cada indivíduo que se transforma a si mesmo...

PRÓLOGO

Ao final dos tempos de uma humanidade, o Rosto do Anjo se vislumbra em cada indivíduo que se transforma a si mesmo. Estamos vivenciando drásticas mudanças de todas as ordens, começa a gestação de uma forma distinta de viver, de pensar, de amar. O ser humano, como a Ave Fênix, renascerá de suas cinzas convertido num “novo ser” sem necessidade de ter que morrer para renascer. Uma nova consciência o impulsiona, vive, sente, pensa e se projeta em uma nova forma. Mantêm contato direto com a natureza, a estuda e a compreende, e é capaz de transformar o que está ao seu redor.

São os primeiros passos que dá a humanidade para converter este mundo em um lugar de paz, amor e abundância.

A grande mudança ao final do milênio foi iniciada. Uma Luz de esperança ilumina o planeta. As sete partes vitais do ser humano, sem coerência harmônica neste nível evolutivo, começam a integrar-se para formar a UNIDADE.

O indivíduo se transforma e avança ao seguinte plano na escala da evolução. A semente da Unidade está germinando em cada ser humano e o tempo para a integração está finalizado. Nosso compromisso é apresentar a informação necessária de forma organizada e clara para encurtar o tempo do processo. O trabalho em si mesmo, o interesse, a disciplina e a constância farão o resto. Com as benções de Deus e o trabalho de todos podemos conseguir que este Planeta seja um mundo maravilhoso.

KARDIEL - Mestre do Quarto Plano

Umas palavras

Faz já 29 anos, Maria Del Socorro Pérez (Marla) aceitou colaborar conosco. Com a informação que lhe fomos entregando, organizou uma serie de cursos, os mesmos que têm sido difundidos pelo México e outros paises.

No último curso Aury Zen desenvolveu-se um programa de saúde, com o objetivo de preparar o organismo para estabilizar os três corpos básicos: físico, mental e emocional.

No presente trabalho O Rosto do Anjo dá-se um passo mais à frente, abrangendo todos os elementos indispensáveis para integrar os sete corpos do ser humano. Ao estabilizar a coerência elétrica entre as sete partes do indivíduo, pode-se incrementar a freqüência vibratória para fazer possível o passo transdimensional.

Com a finalidade de que a difusão desses conceitos chegue em forma simultânea a um maior números de pessoas, solicitam-lhe para escrever um livro incluindo as conversações e comentários de todos os que estamos colaborando. Isto servirá para compartilhar convosco não só os dados, senão toda a vivência.

Gradualmente iremos explicando quem somos, como vivemos, o que permitirá que nos vão conhecendo e em um futuro não muito longe, possamos todos conviver em harmonia.

Kardem - Membro do Conselho Diretivo da Magna Obra

CAPÍTULO PRIMEIRO

Um pouco de história

Ao começar este livro, meu editor pediu que informasse aos novos leitores: Quem é Marla? E assim que se fez necessário um pouco de história. Desde que eu tinha dez ou doze anos senti a necessidade de procurar respostas para aquela sensação que tinha de “ter esquecido alguma coisa”. Não sabia o que era ou de que se tratava, simplesmente sentia como que eu tinha que “lembrar”.

Como Maria Del Socorro Pérez dediquei-me a ler tudo quanto livro achei que falava sobre a vida após a vida. Meu pai, uma pessoa extraordinária pela sua bondade e sabedoria, era membro do grupo Rosacruz, minha tia Clementina sua irmã, pertencia a Sociedade Teosófica, ao morrer nos deixou todos os seus livros. Em casa havia uma biblioteca não muito grande, mas sim muito seleta sobre todos esses temas. Nesta busca incessante, achei um caminho ou talvez, como o verso diz, fiz meu caminho ao andar.

E assim finalmente, faz mais de 30 anos vi uma luz e me agarrei a ela. Era a Divina Presença de meu Ser. Não acreditei merecer tanta felicidade.

Ao duvidar se essa maravilhosa realidade não seria uma armadilha do ego, consultei com um sacerdote jesuíta, o Padre Escalada, que me disse: toma a Cristo como o centro de tua fé, não o deixes e continua em frente. Desde esse momento meu Ser me indicou que devia dedicar todo o meu tempo e esforço, no trabalho interior para poder estabelecer contato visual e auditivo com pessoas que se encontram em um nível mais elevado que o nosso. Eles te convidarão a colaborar na Magna Obra. É minha vontade que assim seja. Essas pessoas são atualmente meus Mestres, de quem falarei ao longo do livro todo. Eles me disseram que meu nome harmônico era Marla, razão pela qual comecei a usar esse nome.

A informação que recebo deles nos apresenta uma visão mais ampla do universo e a pluralidade dos mundos habitados. Aprofunda-se na evolução em Planos e Dimensões. Explica-se em detalhe como manejar as chamadas faculdades paranormais e se esclarecem alguns fenômenos psíquicos. Devo comentar que o desenvolvimento de algumas dessas faculdades tomou-me alguns anos, mas agora nesta nova realidade que se vive, pode-se realizar somente em alguns meses.

Esses conceitos nos brindam a oportunidade de conhecer o estado atual dos seres humanos e nos apresentam a forma de avançar na saúde do corpo, Mente e Alma, para poder enfrentar as drásticas mudanças que estão vindo. No plano material, meu Ser me indica a forma de integrar os cursos, para quem, aonde e quando devo ensiná-los. A razão dessa guia deve-se a que minha parte humana desconhece os Planos Superiores, pelo que não devo tomar decisões, quando estas possam alterar a labor dos Mestres.

Espero que este livro que escrevi sem nenhuma preparação literária, mais sim com muito amor e desejo de serviço, sejam lhe grato.

O ponto de partida

Nos primeiros dias de janeiro deste ano (1997), estava trabalhando no meu escritório, quando se apresentou o Mestre Kardem e me disse: Marla, temos um novo trabalho. Como você bem sabe, as ordens chegam no último momento, até que o tempo do karma planetário se cumpre. É por isso que somente hoje posso falar-lhe de um tema de grande atualidade.

Kardem continua falando, mas em sua voz tinha um tom de preocupação. As mudanças no Planeta ainda não terminaram. A partir do solstício do verão deste mesmo ano, começa a última etapa na que aumentará a vibração planetária. É a de maior aceleração e vai demorar menos de cinco anos.

Durante esse tempo, podemos aproveitar o processo ao que será submetido o planeta, para difundir os conhecimentos necessários que permitam a tudo aquele que o deseje participar, adaptando e integrando seus sete corpos à nova vibração. Isto permitirá que qualquer indivíduo passe de uma freqüência para outra, sem grandes moléstias nem contratempos.

Arcelia e Kardiel estão por chegar, trabalharão com você para organizar e transmitir essa nova informação. Kardem despediu-se e eu fiquei com uma série de idéias ao redor da minha cabeça. Quais são os sete corpos que mencionou? Como será a última etapa que demorará menos de cinco anos? Minha mente estava saturada.

Trabalhar com os Mestres sempre é fascinante, mas jamais tem sido fácil. Sua mente funciona com anos luz de distância da minha. Isto eu sei faz anos, mas eu não consigo me acostumar.

Kardiel e Arcelia

Alguns dias mais tarde, apresentaram-se no meu escritório dois jovens muito amáveis e simples. Ao cumprimentá-los, Kardiel me pediu que não os chamasse de Mestres, que simplesmente os chamasse pelo seu nome. Enquanto Kardiel e eu ingressamos no salão, Arcelia ficou na pequena recepção observando uma litografia que representa o despertar da força interior.

Essa, disse Kardiel, é a nova informação, que viemos te entregar. É importante que trabalhemos de imediato com esse material.

Estou às suas ordens – respondi - podemos começar quando vocês o desejarem.
Observei que Kardiel trazia nas suas mãos um acetato enrolado, como se dobram as plantas dos arquitetos, ao desdobrá-lo vi que não era um desenho e sim uma holografia.

O mundo virtual... Olhe esta imagem, disse Kardiel, se a observar de frente você vai ver o Planeta Terra. Se a giras um pouco, aparece outro mundo mais sutil que lhe sobrepõe.

É uma réplica virtual. Quer dizer, é uma copia das estruturas energéticas do planeta Terra, que há 15 anos começou a plasmar-se no espaço/tempo conexo ao atual. Neste momento três quartas partes da réplica já estão em contato com o mundo real. Esta modificação, falou Arcelia, tem uma Freqüência Vibratória de Base mais alta que a do planeta (se diz F.V.B. elevada a segunda potência).

Nestes momentos, continuou dizendo Arcelia, seu contato com a Terra já atinge a todas as estruturas do mundo real e de tudo o que nele existe especialmente os climas, a orografia, a hidrografia e é claro, a vida em suas diversas manifestações.

O mais surpreendente neste período, explicou Kardiel, começará a partir do 21 de junho deste ano e demorará menos de cinco anos. Neste lapso, o mundo virtual deverá integrar-se totalmente ao mundo real, modificando sua freqüência vibratória.

Minha mente tentava captar as implicações do que estava escutando. Como seriam estas mudanças? Em que forma vão nos alterar? Que poderemos fazer para nos preparar? Com certeza no meu rosto havia uma expressão de muita surpresa e preocupação, Arcelia aproximou-se e em um tom tranqüilo me diz: Pensa que em qualquer processo, por difícil que pareça, quando há harmonia, não há sofrimento.

Esse especificamente, é o tema do presente trabalho que realizaremos em forma de livro para poder alcançar o maior número de pessoas no menor tempo possível. Com a nova informação, acrescentou Kardiel, qualquer pessoa poderá harmonizar suas sete partes vitais e formar sua UNIDADE. Em pouco tempo, como lhe diz Kardiel, estarão vibrando na nova freqüência, sem dor nem sofrimento.

Não falaram mais, não mencionaram concretamente o que era nem o que vai a acontecer. Simplesmente me disseram: a gente vai se ver depois. Assim trabalha-se com os Mestres. Não é possível interrupção alguma para perguntar algumas dúvidas. Enquanto vão passando os dias, as incertezas vão se esclarecendo, umas vezes medito e encontro solução às minhas perguntas e outras, na seguinte informação está a resposta.

A planificação do livro

Dois dias mais tarde quando chegaram ao escritório, Kardiel começou a introduzir o tema: A nova informação precisa o uso constante dos conceitos básicos que têm sido ensinados nos outros cursos.

Embora, diz Arcelia, os temas que se entregaram faz mais de 20 anos foram colocados em seqüências apropriadas e adaptados ao momento evolutivo do planeta. Hoje esta limitação já não existe mais, o que nos permite planificar tais conceitos em forma livre e completa.

Sugiro, diz Kardiel, que para os que não fizeram tais cursos, a cada novo conceito se explique dentro da narração com textos breves em letra minúscula, interagindo com algumas laminas com desenhos e indicações para facilitar a compreensão de cada tema.
Ao final, podemos incluir um breve glossário. Todos estávamos concordando, despediram-se com um sorriso e combinamos nos reunirmos no dia seguinte.

A linha Bond

Quando chegaram, Arcelia começou dizendo: Me parece importante para os nossos novos leitores que expliquemos brevemente as causas que geram as drásticas mudanças que estão se manifestando no planeta. Podemos, disse Kardiel, integrar numa primeira lamina o corpo elétrico da Via Láctea, nossa galáxia, indicando a localização da Linha Bond.

O corpo elétrico da galáxia, o campo unificado, está formado pelo campo eletro-magnético, um ovóide formado por trinta e seis linhas curvas douradas que se unificam nos seus pólos.

No interior do ovóide ao centro, existe o campo gravitacional. Este campo é uma figura plana elíptica com seis linhas retas que se cruzam no seu centro, formando doze raios. Os espaços entre os raios formam doze zonas que tem os nomes dos signos zodiacais. O percurso do Planeta Terra por cada zona dura 2.085 anos terráqueos.

Um ciclo evolutivo cobre as doze zonas que também são conhecidas como Eras. Começa em Aquário e termina em Peixes, demorando 25.000 anos. A Linha Bond é um dos raios da elipse, divide as zonas de Peixes e Aquário. O Planeta Terra demora 40 anos em atravessá-la. As linhas divisórias, comentou Kardiel, que se observam tão finas no desenho, na realidade são enormes campos de força. Os planetas, ao atravessá-las se submetem à sua vibração, a qual provoca as grandes mudanças que se manifestam no Planeta, em todos os níveis.

Cada linha tem uma estrutura diferente

Arcelia manifestou-se dizendo: Consideramos que a Linha Bond é a mais importante, porquanto suas estruturas provocam momentos de aceleração e desaceleração alternados, a qual incrementa em forma permanente a freqüência vibratória de qualquer estrela ou planeta que atravesse. Este fenômeno dá origem a que termine todo um ciclo evolutivo e se inicie o seguinte.


CAPÍTULO SEGUNDO

O estado Aury Zen

Para continuar com os antecedentes mais importantes, me diz Arcelia, vamos dar os conceitos que se entregaram no último curso: Aury Zen, um Programa de Saúde. O estado Aury Zen, é o nível de evolução mais alto que se alcança na etapa humana.

No terceiro plano, a mente e a inteligência humana evoluem no transcorrer de milhares de anos, até manejar os dados de forma binária. Escolhe suas respostas entre: um sim e um não, quando ele dá respostas certas na maior parte delas, o humano está funcionando com a inteligência binária. São os indivíduos que pensam que as coisas são boas ou ruins, brancas ou pretas, positivas ou negativas. Não aceitam termos médios, o que limita sua visão global.

Em sua última etapa, os indivíduos manejam os dados em forma analógica; se faz a escolha entre três ou mais opções, das quais várias são corretas. A capacidade de eleger a mais apropriada, embaixo às condições que se apresentam é conhecida como inteligência analógica. O maior ou menor tempo de resposta qualifica o grau de inteligência. A partir deste momento, o limite linear na atividade mental do ser humano foi alcançado.

Neste ponto, diz Kardiel, inicia-se um processo egocêntrico introspectivo. A mudança começa a ser percebida quando o indivíduo se preocupa mais do que anteriormente pelo cuidado de sua saúde física e mental.

Kardiel continua explicando: começa a busca de outras respostas na área espiritual. Também, se envolve mais com o bem estar da sociedade e a preservação do meio ambiente. É o estado Aury Zen, diz Arcelia, o vazio de si mesmo que se manifesta com a perda do egoísmo, que o humano manifesta como uma constante em sua conduta, e o começo do egocentrismo, na que a pessoa se observa a sim mesma e projeta sua ajuda e colaboração ao redor.

Estes indivíduos trabalham com entusiasmo, apóiam as idéias e os esforços encaminhados ao benefício coletivo. Irradiam confiança em sim mesmos, enxergam o futuro com otimismo, já que eles mesmos são parte do novo planejar. Quando uma pessoa desencarna nessas condições, falou Arcelia, deixa o terceiro plano e nasce no quarto plano sem maiores empecilhos; sua adaptação ao novo mundo é simples e maravilhoso.

Um passo a frente

Mas, continuou explicando Arcelia, considerando as grandes mudanças que estão próximas, se faz necessário considerar que nestes momentos, podemos ajudar muitas pessoas a dar um passo à frente, para modificar sua freqüência vibratória hoje, sem necessidade de desencarnar.

Sim, diz Kardiel, tendo em conta que o Planeta esta mudando sua freqüência vibratória, todos os seres humanos que já findaram esta etapa evolutiva (e neste momento são mais de três mil milhões) podem aproveitar este evento cósmico para passar de um nível a outro, adaptando corpo, mente e alma à nova vibração.

Além do que estão mais de mil milhões de anjos caídos que desceram do quarto plano por diversas causas; a maior parte deles já terminaram suas etapas de ajuste e estão prontos para voltar e continuar vivendo no nível evolutivo ao qual pertencem.

Os sete corpos

Na nossa seguinte reunião, Kardiel falou: No estado Aury Zen se harmonizam três partes do indivíduo: corpo, mente e alma. O seguinte passo é conseguir a coerência elétrica entre as sete partes: quatro temporárias e três constantes.

Como partes temporárias ou perecíveis temos: a entidade biológica, o corpo sutil, o corpo de energia estável e o corpo emocional. Entretanto as partes constantes ou eternas são: o corpo mental, a alma com seu espaço causal e o corpo átmico, que permanece compacto no transcorrer da etapa humana. Arcelia me disse: é necessário fazer um desenho das sete partes, para que a gente possa ter uma idéia clara de suas formas.

O estado Ku Mara

Para atingir o estado Ku Mara, explicou Arcelia, que significa aquele que se transforma é necessário conhecer em detalhe cada uma das sete partes para poder trabalhar nelas. Uma vez que se estabelece a harmonia entre os sete corpos. A Energia Superior flui sem interferências de ordem alguma, a matéria vai se fazendo mais sutil e sua vibração aumenta gradualmente.

Neste estado, interveio Kardiel, a pessoa é um Ku mara. Uma vez que se consegue esta etapa, se simplifica o desenvolvimento das outras faculdades mentais. Nesta forma pode-se avançar no manejo dos outros níveis de consciência, que são indispensáveis para ter acesso às faculdades da alma. Kardiel deu-me uma explicação: usamos termos como Ku Mara, porque sua etimologia descreve exatamente o conceito, e também são palavras que têm sido usadas em outros centros de estudos. Fez uma pausa e disse: Já é muito tarde, é melhor a gente continuar amanhã.

A célula Cósmica

Kardiel iniciou este tema: Antes de continuar falando de outros temas, se faz necessário esclarecer o conceito de uma Célula Cósmica para ter um referencial da localização correta de Seres, Almas e Espíritos, através das diferentes etapas da evolução.

A imagem da Célula Cósmica existe na mente de Deus. Contêm um Germe de Vida que gera os Seres, como o principio feminino e o principio masculino. Cada Ser masculino ou feminino, está formado por um corpo átmico, uma mente universal e cinco Essências Plasmáticas ou Átomos Divinos. Duas delas são a Alma e o Espírito. É muito importante, me diz Arcelia, que cries uma lamina que represente a Célula Cósmica, para esclarecer nossa origem e nossa transcendência. Para desenhar o Germe da Vida você pode usar o símbolo do Ying e Yang, que representa em forma universal o princípio masculino e o princípio feminino em constante movimento.

Usa as cores da Luz Rosa para a parte feminina e a Luz Dourada para a parte masculina. Gostaria dizer-lhes, fazer um resumo dos elementos que deve conter o desenho. Na Mente de Deus, existem as Células Cósmicas. Do Germe de Vida se geram dois Seres, o princípio feminino e o princípio masculino. Cada Ser, está formado por um Corpo Átmico, uma Mente Universal e cinco Essências Plasmáticas ou Átomos Divinos. Duas das Essências encarnarão em corpos humanos, no Terceiro e Quarto Planos, como a Alma e o Espírito.

Está muito bem, me diz Arcelia, as imagens têm a função de representar e esclarecer alguns conceitos abstratos.

Evolução, Planos e Dimensões

Agora. Diz Kardiel, vamos a fazer um resumo dos seguintes conceitos básicos:
Evolução é o processo pelo qual passa cada Ser com seu Corpo, sua Mente e suas cinco Essências para desenvolver em sua mente a Sabedoria e em suas Essências a Consciência, além de consolidar e fazer eterno o seu Corpo. No transcorrer deste processo, que começa no Primeiro Plano evolutivo e termina no Sétimo, atinge os estados de onisciência, onipresença e onipotência, quer dizer que sabe tudo o relativo a matéria e energia, pode-se manifestar em qualquer Plano e dimensão e pode atuar em todos eles, manipulando qualquer acontecimento.

Plano Evolutivo é a coincidência de circunstâncias que permitem que em determinado planeta se desenvolva um nível de evolução. Na forma de identificação, ao nome ou número desse planeta, se incorporam as palavras Plano Nº X, para saber o nível que ali é possível de se desenvolver. Dimensão é a variedade de freqüências vibratórias que existem num espaço planetário. Estas permitem que matéria e energia se agrupem em diferentes longitudes de onda, para formar divisões no espaço/tempo. Estas divisões são conhecidas como mundos paralelos.

Ao início da evolução

No Primeiro e Segundo Planos, os Seres vivem em quinta dimensão, sendo que suas Almas e Espíritos sem encarnar, mas com a presença vigilante de seus Seres, trabalham em terceira e quarta dimensões do mesmo planeta.

Arcelia começou a explicar estes conceitos: O casal de Seres descem juntos até a quinta dimensão do Planeta selecionado. Cada Ser mantêm em seu Corpo três de suas Essências, e projeta duas réplicas ou imagens de si mesmo à terceira e à quarta dimensão. Uma de suas projeções contêm seu Espírito. As duas réplicas de cada Ser são imagens atuantes, isto quer dizer que vão ficar em constante vigilância e proteção da Alma e o Espírito, enquanto estes adquirem conhecimentos.

Para iniciar sua evolução no Primeiro Plano, diz Kardiel, o casal de Seres escolhe um planeta com condições que lhe permita conhecer tudo relativo ao reino mineral. Uma vez que está finalizada esta primeira fase, buscam o Planeta apropriado para continuar seu trabalho em um Segundo Plano.

Desta vez o estudo estará focalizado ao conhecimento dos reinos vegetal e animal, de idêntica forma que o fizeram no Primeiro Plano, ou seja, com sua Presença real na quinta dimensão, enquanto suas Almas e Espíritos trabalham em terceira e quarta dimensões, com suas correspondências.

Ao chegar ao Terceiro Plano, os Seres trabalham na quinta dimensão, entretanto suas réplicas permanecem atentas a Alma e ao Espírito, os quais encarnam em corpos humanos. No transcorrer destas etapas, tanto a Alma como o Espírito alternam suas vivências na terceira e quarta dimensões. Através das diferentes experiências, atingem novos níveis de consciência em cada lapso de vida.

Um breve repasso

Faço uma proposta a vocês, diz Arcelia: Fazermos um breve repasso sobre a evolução das Essências, amplificando um pouco mais a informação já proporcionada. A evolução das Almas e os Espíritos, em Primeiro e Segundo Planos processam e organizam dentro de sua própria estrutura todo tipo de dados, dos reinos mineral, vegetal e animal. No Terceiro Plano, começa a evolução humana. Almas e Espíritos encarnam em entidades biológicas.

Necessitam o desenvolvimento de uma mente humana que converta ao indivíduo numa entidade participante do universo de vivências e experiências, para abrir a consciência da Essência, sendo que se trata de uma Alma ou um Espírito. Neste ponto, diz Kardiel, é importante que fique claro que as duas Essências do Ser, que trabalham em terceira e quarta dimensões são idênticas. São chamadas de Almas, quando encarnam na terceira dimensão, em um corpo humano mais denso, dentro de um espaço/tempo de relação constante.

São chamados de Espíritos, quando encarnam na quarta dimensão num corpo humano sutil, dentro de um espaço/tempo de relação flutuante. Os Seres, diz Arcelia, são a Presença Divina com corpos aonde existem a Alma e o Espírito, como duas das cinco Essências que têm desde sua origem e formação. No corpo energético, existe, vive e trabalha na quinta dimensão de cada Planeta que visitam. Nesta dimensão se encontra dentro de um espaço/tempo complexo, apto para a manifestação desta forma de vida.
No Terceiro Plano, os Seres projetam suas imagens atuantes, as que se encarregam de vigiar e proteger suas Almas e Espíritos, encarnadas em corpos humanos. Como um comentário final a este tema, diz Kardiel, lhes comunicamos que no Quarto Plano, os Seres também vivem e trabalham na quinta dimensão. Neste Plano, Almas e Espíritos encarnam somente em quarta dimensão, por causa de que a terceira dimensão de qualquer planeta, não é apropriada para a estrutura dos corpos humanos que neste nível, são mais sutis.

A descrição da vida no Quarto Plano, diz Arcelia, é parte do objetivo deste livro. Desejamos informar: Quem somos? De onde estamos vindo? Como vivemos? E Por que estamos de visita em vosso Planeta ?

Antes de falar disso, diz Kardiel, necessitamos explicar mais amplamente a forma de viver na quarta dimensão do Terceiro Plano, nos referindo concretamente ao que acontece neste tempo nessa dimensão de vosso Planeta.

CAPITULO TERCEIRO

Os Seres Humanos

Com a presença constante do Ser, disse Arcelia, o corpo humano, a mente humana e a Alma ou Espírito, forma-se a Unidade chamada Ser Humano. Através de milênios, a mente humana incipiente vai se desenvolvendo e se aperfeiçoando, até conseguir que possa manejar a inteligência analógica. No transcorrer dessas etapas, as diferentes vivências que tem o Ser Humano modulam as estruturas da Alma e o Espírito até estabelecer neles o estado de consciência transcendente.

Os mundos paralelos

A evolução dos Seres Humanos no Terceiro Plano, explicou Kardiel, realiza-se em dois mundos paralelos: a terceira e a quarta dimensão. Cada dimensão é um mundo distinto, com vida própria, nos quais os reinos mineral, vegetal e animal manifestam-se com diferentes características. A matéria e a energia existem em diferentes níveis de coesão e favorecem a existência de entidades biológicas mais densas ou mais sutis.

Isto provoca, disse Arcelia, a existência de grandes diferenças desde a forma de se alimentar até nas formas de governo, organização política e leis que regem cada mundo.
As características do espaço/tempo próprias de cada dimensão determinam a coesão molecular e o peso médio de cada corpo. “A freqüência vibratória em cada mundo é diferente, e por isso, o tempo transcorre com maior ou menor velocidade em cada lugar”.

Na quarta dimensão do Terceiro Plano

A opção vibracional da terceira dimensão favorece o desenvolvimento dos níveis de consciência, sensibilidade e humanismo, já no caso da mais alta vibração a quarta dimensão propicia o desenvolvimento dos níveis da mente.


Em quarta dimensão, disse Kardiel, as pressões atmosféricas e a freqüência vibratória mais alta permitem a formação de corpos mais sutis. O tempo transcorre de forma diferente. Da mesma maneira que na terceira dimensão, os dias são de 24 horas, embora 60 minutos da terceira dimensão equivalem a 90 minutos da quarta dimensão.

Esta situação, disse Arcelia, permite que seus moradores disponham de mais tempo cada dia, o que se traduz num maior desenvolvimento da ciência e da tecnologia. No momento, se compararmos os avanços científicos e tecnológicos que existem na terceira dimensão, na quarta dimensão se vive com um avanço de 100 anos. Observemos quatro aspectos interessantes de tal avanço, que melhoram substancialmente a qualidade de vida de seus habitantes:

1- Neste mundo existe um Conselho Mundial formado por representantes de todos os Países. Este Conselho é o encarregado de organizar e administrar a produção de insumos que são destinados aos Centros de Processo. Uma vez transformados em produtos, são distribuídos em cada população de cada país. Desta forma, impede-se o desperdício e evita-se a falta no fornecimento.

Em outro de seus departamentos manipulam-se os recursos renováveis e os não renováveis. Aqui é bom mencionar que o petróleo, há 30 anos já não é mais uma fonte de energia.

Ainda existem diferentes paises, mas as fronteiras são virtuais. Pode-se viajar livremente por todo o Planeta. A única condição é que o viajante tem que informar ao Conselho o motivo da viagem, o lugar de destino e a duração da mesma. Antes de sair, o viajante submete-se a uma inspeção de seu estado de saúde. Se for detectado qualquer problema, antes de viajar deve submeter-se ao tratamento médico que lhe seja indicado. Não se produz tipo nenhum de armas há mais de 100 anos. Não existem cadeias, o que há são centros de tratamento Psiquiátrico ou Psicológico nos quais permanecem os pacientes até serem liberados.

2- Em cada país existe um Banco que contabiliza o débito pelo consumo de produtos e serviços que se recebe, assim como o crédito pelos insumos e serviços que fornece. Nesta contabilidade, leva-se em conta apenas os números, sem necessidade de manipular nenhum tipo de moeda.

3- Cada pessoa, desde o momento em que nasce, tem um cartão pessoal com que dispõe mensalmente de certa quantia para satisfazer suas necessidades. Desde o recém nascido, a criança, o estudante ou ancião dispõem-se de uma quantia, a cargo do Estado, para o pagamento dos bens e serviços, sem que a família tenha que tomar cargo de tais despesas. Ninguém tem falta do necessário.

4- Quando uma pessoa finaliza seus estudos básicos, começa a trabalhar (quatro horas ao dia). Os empregos são designados pelo Estado, e sua remuneração está de acordo com o trabalho que desenvolvem. Todos continuam estudando duas horas por dia. É freqüente que dominem vários idiomas e inclusive que nos estudos cheguem a completar várias profissões. Nesta forma recebem maior capacitação e assim dispõem de outras oportunidades de empregos melhores remunerados.

Algumas naves. Graças a estes avanços tecnológicos, disse Kardiel, os seres humanos tem começado a desenhar e construir naves que se deslocam através do interespaço usando os campos eletromagnéticos do planeta. Através dos pontos de contato chamados portas dimensionais, podem aparecer na terceira dimensão e serem observadas com facilidade ao simples olhar, ainda quando seus tripulantes não podem descer nem comunicar-se em forma direta, por causa de que seus corpos ainda não controlam a vibração de relação constante que existe na terceira dimensão.

A presença dessas naves será cada vez mais freqüente, por motivo de que o contato com o mundo virtual de que falamos no inicio formará mais portas dimensionais. O complexo neste tema, disse Arcelia, é que os Seres Humanos de terceira ou quarta dimensão não conhecem a Grande Lei de Causa e Efeito que rege todo o Universo e, por isso, não estão compromissados com suas normas. Sem o contato direto com seu Ser, explicou Kardiel, o livre arbítrio determina suas ações em função de seu nível de inteligência e degrau de consciência.

A hierarquia Superior somente observa seus atos, mas não os direciona, nem os controla. Esta circunstância limita nossa participação e ainda em ocasiões de perigo nos impede de atuar diretamente.

Lembremos, disse Arcelia, que qualquer “acidente” ou situação desagradável já existe plasmada no espaço causal do planeta desde antes que aconteça. Quando alguns desses eventos vão atingir alguém, este evento pode ser anulado pelo seu Ser, se ele acreditar que não interfere com seu processo evolutivo, o qual sempre estará sujeito a Grande Lei de Causa e Efeito (chamada Lei de Karma-Dharma em algumas filosofias orientais).

As zonas

Entre a terceira e quarta dimensões, existe uma zona e entre a quarta e quinta dimensão existe outra. As zonas se formam pela convergência de espaços dimensionais. Não são mundos autônomos, não tem vida própria, embora coexistam com uma dimensão. Seu estudo é de grande importância para todos os Seres Humanos. A zona fantasma situa-se entre a área mais sutil da Terceira Dimensão e a área mais densa da Quarta Dimensão. Coexiste com a terceira dimensão. De igual maneira, a zona astral localiza-se entre a Quarta e Quinta dimensões. Coexiste com a quarta dimensão.

A morte

Ao falar da zona fantasma, disse Arcelia, gostaria de tocar num tema que em hipótese nenhuma é agradável. É necessário esclarecer por causa da dor que produz nos seres humanos... Estou falando, ao fato do final do lapso da vida, que é conhecido como a morte.

Ao abandonar a entidade biológica em forma definitiva o ser humano desencarna. Sai de seu corpo de energia densa com sua Mente, seu corpo Emocional, sua Alma com o espaço causal e seu corpo átmico. Sua freqüência vibratória, sem a entidade biológica corresponde a zona fantasma. Quer dizer que a pessoa que desencarna segue na terceira dimensão, mas em um espaço/tempo diferente.

Através do corpo de energia densa, pode ver e ouvir tudo o acontece ao seu redor, embora não possa interagir com pessoa nenhuma ou objeto da terceira dimensão. É o purgatório, disse Kardiel, onde se produz a diluição das cargas alteradas que ainda ficaram no espaço causal. Aqui o tempo transcorre em forma diferente. A freqüência vibratória de base (FVB) de 3ª dimensão está elevada à segunda potência. Nove anos nesse lugar, equivalem a nove dias na terceira dimensão. A partir desse lapso, o Ser toma a custódia da mente e a Alma da pessoa até sua seguinte vivência.

O corpo vazio, disse Arcelia, fica como um fantasma que anda perdido sem propósito algum até que se desintegra. Quando permanece perto de estrutura de canteiras ou nas proximidades rochosas do mar, podem permanecer por séculos. Estes corpos são os fantasmas.

Não esqueçamos, disse Arcelia, que em quarta dimensão também existe a morte. Quando um espírito abandona a entidade biológica, na mesma forma que acontece com a Alma, sai de um corpo de energia densa, junto com o corpo emocional, a mente, o corpo átmico e o Espírito com seu espaço causal. Passa à zona astral para viver o mesmo processo do purgatório.

Antes de terminar este tema, disse Kardiel, é importante esclarecer que nem todos os casos são iguais. Quando uma pessoa no transcorrer de sua vida dilui todas as cargas indesejáveis, ao momento de morrer passam com sua mente e corpo átmico ao cuidado de seu Ser, sem parar nas zonas fantasmas ou astral.

Um evento maravilhoso

Arcelia chegou sorridente. Começou a iniciar este tema. A partir de 1 de Janeiro de 1992 acabou a etapa evolutiva do humano e começou a fase de adaptação à mudança.
Desde este momento, a função dos Serafins (moradores do quarto nível do Quarto Plano), é conservar uma réplica da entidade biológica de todas as pessoas que têm desencarnado a partir dessa data, na terceira ou na quarta dimensão do Terceiro Plano.

As réplicas, disse Kardiel, são restauradas e conservadas em perfeita saúde num estado que é conhecido como vida suspensa. Isto significa que esses corpos não precisam respirar, nem serem alimentados, suas funções biológicas estão suspensas, embora a atividade elétrica do cérebro enquanto dorme, recebe, aceita e processa toda a informação que necessita para manter atualizada a pessoa em tempo, espaço e eventos importantes que acontecem ao seu redor.

Quando a vibração do Planeta permitir, disse Arcelia, as pessoas que desencarnaram desde 1992 até a data em que isto aconteça, receberão um corpo idêntico ao que deixaram. O Espírito e a Alma, segundo seja o caso, com sua mente e o corpo átmico, encarnarão numa nova entidade biológica, a qual tem prontos e completamente renovados os corpos sutis, energético e emocional. Assim continuarão sua evolução no Plano e dimensão que lhe corresponda.

A função dos Serafins

Ao longo de todos os tempos, disse Kardiel, quando acontecem grandes catástrofes ou desastres naturais, na terceira ou na quarta dimensão, se o Poder Supremo não autoriza que participem os Engenheiros do Cosmos para modificar a trajetória de tais eventos, ordena aos Serafins que conservem réplicas das entidades biológicas que desencarnaram sem ter cumprido seu lapso vivencial.

Estas pessoas, ao receberem corpos idênticos aos que deixaram, continuarão sua vida em outro espaço/tempo em condições muito favoráveis. Esta situação, falou Arcelia, também acontece em todo grande desastre provocado pela mão do homem no que se produz a morte de seres humanos inocentes. Ao ouvir os comentários de Arcelia, fiquei pensando nos horrores que têm atravessado cidades como Bósnia e Sarajevo; em Hiroshima e Nagasaki, nos terríveis massacres dos campos de concentração da Alemanha nazista; nos mártires do cristianismo.

Essas pessoas, disse Arcelia lendo meus pensamentos, não sofreram. Dois dias antes do martírio de seu corpo, sua mente, sua Alma e demais estruturas, já estavam em mãos de seu Ser, aguardando uma nova oportunidade de vida, sem ter que passar pela morte e o renascimento e menos ainda pelo purgatório.

O mesmo acontece com os povos devastados pela fome. No Plano Divino estão previstas todas as situações que os Seres humanos não podem controlar para que ninguém morra por falta de alimento ou de agasalho.

Lembrei que minha Mãe disse: Deus jamais esquece nenhuma de suas criaturas. Sua Lei é perfeita, tudo Nele é Amor, Justiça e Equilíbrio.

CAPÍTULO QUARTO

Inicia-se a compreensão da mente do outro, encarnado num corpo do sexo oposto. Vive-se o estado de complementação na qual uma das partes vivencia exatamente a contraparte da outra. Assim surge o germe do Amor como algo indissolúvel e eterno.

As três variáveis em Terceiro e Quarto Planos

No Terceiro e Quarto Planos, interveio Arcelia, os Seres manipulam três variáveis na evolução para conseguir que, ao chegar ao Quinto Plano, cada Essência encarnada tenha completado sua evolução com vivências e experiências em todas as áreas.

A Primeira Variável: cada Essência deve alternar suas vivências em terceira e quarta dimensão para trabalhar em paralelo no desenvolvimento da Mente e da Consciência.

Como já explicado, disse Kardiel, Alma e Espírito são termos que são usados indistintamente para diferenciar o espaço/tempo ou dimensão na qual se encarna. Quando uma Essência encarna em terceira dimensão é chamada de Alma. Esta mesma Essência, ao encarnar em quarta dimensão chama-se Espírito.

A Segunda Variável: a cada sete vidas, a Essência masculina encarna num corpo feminino e a Essência feminina encarna em corpo masculino, para adquirir as vivências que são necessárias, valor ao casal e iniciar a compreensão do Amor.

Nestas condições, disse Arcelia, cada vivência num corpo do sexo contrário, abre a consciência à outra forma de amar. É compreendido como o instinto, é diferente em cada sexo. Valorizam-se seus atributos especiais em cada vivência; em poucas palavras, se respeita ao casal porque você mesmo tem experimentado as condições e circunstâncias específicas de viver em cada sexo.

Inicia-se a compreensão da mente do outro, encarnado num corpo do sexo oposto. Vive-se o estado de complementação na qual uma das partes vivencia exatamente a contraparte da outra. Assim surge o germe do Amor como algo indissolúvel e eterno.

A Terceira Variável: seis das doze raças cósmicas existem na terceira dimensão e outras seis vivem na quarta dimensão. Cada Essência deve passar sete lapsos vivenciais experimentando os fenômenos que acontecem no berço de cada raça, para adquirir as vivências que lhe brindem a Irmandade.

Através das sete vivências, disse Arcelia, se estabelece a ligação a um grupo étnico, o amor a essa raça e seus costumes. Cada cultura enriquece a mente. Seus rituais, seus mitos e lendas moldam a Essência. Ama-se e respeita-se cada grupo, porque temos sido parte deles.

Na Essência plasma-se o genuíno Amor a todos os seres humanos de qualquer raça, em qualquer planeta, em qualquer tempo.

Quando enviam-nos a uma missão, disse Kardiel, sem importar aonde nos enviem, qualquer missão tem sentido e será realizada com todo o amor que possamos expressar.

Fiquei pensando que ao falar dos Mestres, as pessoas costumam imaginá-los altos, loiros e de olhos azuis. A beleza e a harmonia que eles irradiam são indiscutíveis já que seus corpos foram remodelados, pela integração de seus corpos átmicos embora a cor da pele varie conforme a raça na qual está encarnado nessa vivência. No pessoal, tenho tido o prazer de trabalhar com pessoas de raça negra, dourada, azul, branca e rosa. Por exemplo: Arcelia e Kardiel têm encarnado em corpos de raça rosa. Não são muito altos, medem entre 1.75 e 1.8m. Sua pele é rosa, seu cabelo é preto ondulado e seus olhos de uma cor azul quase verde, com um brilho muito especial.

Ascensão e Queda

Agora, falou Arcelia, quando a ascensão do Terceiro Plano ao Quarto Plano leva-se a execução em forma vertical, é freqüente que fiquem incompletas algumas vivências que são necessárias para cobrir todos os estágios previstos.

Esta circunstância deixa espaços vazios nas estruturas da Alma e o Espírito. É imprescindível preencher os espaços com as experiências que faltaram, para consolidar totalmente a forma da consciência. Para isso, explicou Kardiel, é necessário voltar e encarnar novamente no Terceiro Plano, em terceira ou em quarta dimensão, já que aí se dão as condições necessárias para que a consciência processe esses tipos de vivencias.

Os Anjos Caídos

A queda sempre é dolorosa, disse Arcelia, não importa se encarna em terceira ou quarta dimensão, porque ainda quando a mente proteja-se com um bloqueio parcial, para que sua adaptação ao meio seja mais fácil, o indivíduo amnésico vem de um mundo de amor e ordem, que mantêm em seu subconsciente, como uma vaga idéia de um “paraíso que foi perdido”. É o “anjo caído”, que ao nascer, não pode lembrar como funciona a Grande Lei que existe na Mente de Deus e plasma-se em todo o Cosmo.

O Ser esqueceu-se, disse Kardiel, o que é sua Essência e qual é o objetivo das etapas de ajuste em seu aprendizado integral. Não lembra como é esse processo, nem quanto demorará. E, o mais importante, não sabe como encurtar o tempo de sofrimento e dor, nem sequer tem claro se depois dessa vida haverá algo que o transcenda.

Arcelia continuava falando com infinita tristeza: Esta nostalgia que o ser sente, não consegue identificar com sua realidade atual, projeta-a em diversas formas, uma delas é a rebeldia que manifesta perante as leis humanas absurdas e injustas que não lhe permite alcançar com facilidade seus objetivos. Outra forma de manifestar sua inconformidade é o desespero ou a depressão na qual se submerge, quando não alcança e não vislumbra a saída desse “inferno”.

Neste processo, falou Kardiel, podemos perceber o benefício das religiões que marcam o caminho da Esperança, ao mesmo tempo em que oferecem o bálsamo da Fé. Além do que, disse Arcelia, é importante perceber que o Ser desce com a mente bloqueada, para facilitar sua adaptação ao meio, mas a consciência está livre e aberta. Ainda em meio desta confusão seu Ser não deixa de falar ao seu Eu interior, embora somente a nível intuitivo, com essa “voz interior” que lhe lembra uma e outra vez o que deve ser feito: Servir a todo aquele que o necessite, como a única forma de viver em harmonia.

Se aplicarem essa regra, disse Kardiel, ainda em meio da dor e do sofrimento, a vivência cumpre-se rapidamente, preenchendo com amor os espaços vazios que ficaram em sua Alma.

Os que ficam por mais tempo

Lembremos, disse Arcelia, que a Alma desce somente pelo lapso de uma vida, embora, quando o corpo, a mente e as emoções envolvem-se em eventos planetários, as cargas negativas que gera o indivíduo permanecem no espaço causal. O peso de tais cargas impede a ascensão. Não é possível elevar a freqüência para adaptar-se a um corpo mais sutil. Assim continuará caindo e levantando-se até esgotar as cargas indesejáveis.

As causas mais freqüentes que provocam a permanência no Terceiro Plano, explicou Kardiel, são os atos de soberba que se tem perante os menos afortunados e a intolerância que se faz evidente, perante os menos aptos: São estes tipos de ações principalmente, as que geram as cargas negativas que antes mencionamos.

Novamente, disse Arcelia, seu Ser se lembra que o caminho mais fácil para voltar é o trabalho voluntário e desinteressado em ajuda aos outros, com humildade, amor e sacrifício. Se a “voz interior” é ignorada, as mesmas cargas negativas atraem dor e sofrimento. Através da dor, em maior ou menor tempo conseguirá a diluição das deficiências fazendo que à volta a casa seja possível.

Quando desce pelo amor ao casal

No transcurso das etapas humanas, disse Kardiel, os indivíduos unem-se ao casal por afinidade sexual, emocional, mental ou inclusive espiritual, sem que esta união seja necessariamente com seu parceiro cósmico. No Quarto Plano, Almas e Espíritos encarnam na quarta dimensão já que, como mencionamos neste Plano a terceira dimensão, não é apta para os corpos sutis.

As Almas ou Espíritos, falou Arcelia, agora são Essências encarnadas. Cada uma é parte de uma Unidade que se complementa com outra Essência de polaridade contrária. Ninguém informa ao recém chegado quem é seu casal cósmico, este é um processo de conscientização que deve ser realizado cada qual de forma autônoma. Quando chega o momento de estudar o que é o Amor Consciente, o Anjo compreende o que significa a correspondência imutável. A transcendência de duas Essências que são, tem sido e serão partes de um mesmo Germe de Vida.

A partir deste instante, os Anjos dedicam uma parte de seu tempo, ao estudo e a preparação que os leve a alcançar a vibração pura de sua própria Essência. Desta forma poderá se estabelecer o contato para conhecer quem é e aonde se encontra a outra Essência.

Neste processo, disse Kardiel, não se buscam corpos, rostos, mentes ou espíritos afins, já que a outra Essência pode estar encarnada ou desencarnada, em um plano mais alto ou em um mais baixo, em uma dimensão ou em outra. A única coisa que importa é saber que a Essência que se busca é a única contraparte.

Quando um dos dois, disse Arcelia, alcança a vibração de Amor Consciente, gera-se uma força que une as duas Essências, entre ambas forma-se uma dupla corrente de vitalidade, alegria e felicidade indescritível, que se auto-alimenta constantemente.

Neste momento ele ou ela sabe quem é a outra pessoa. Quando se alcança este estado, o Amor já não se acaba, não diminui, não se altera, não muda de objeto amado, permanece em quem o experimenta por toda a eternidade. Se um desce para completar vivências, o outro não pensa em outra coisa que não seja apoiar o seu parceiro, buscando o pronto reencontro. Ao ouvi-los falar do cuidado que têm para estabelecer esta dupla corrente que se converte em Amor Consciente. Ao compreender que uma vez que se gera entre ambos, não de extingue nunca mais, compreende-se um pouco melhor porque em seu mundo não existe o matrimonio nem o divórcio.

Nestes casos, disse Kardiel, os Anjos que descem para apoiar o seu parceiro o fazem por sua própria vontade, sejam homens ou mulheres, descem com plena consciência e faculdades. Colocam-se na quarta dimensão do Terceiro Plano, aonde a vibração é compatível com as estruturas de seu corpo. Podem permanecer em sua nave e desta forma e neste lugar realizar o trabalho. Se decidirem descer, o fazem de incógnito, adotando uma aparência humana, para trabalhar, alimentar-se e permanecer o tempo que seja necessário.

Assim é, comentou Arcelia, quando a entidade feminina encarnou na terceira dimensão, o Anjo se apresentará durante o sonho ou em níveis de meditação, como um Guia, um Mestre ou um Anjo Protetor. No caso do descer da entidade masculina, o Anjo feminino se apresenta como um Guia espiritual uma Mestra ou Entidade Protetora.

Agora bem, disse Kardiel, se o descer do anjo caído se realiza na quarta dimensão, o contato pode ser direto, apresentando-se como amigos, mestres ou companheiros de trabalho. Em caso nenhum o Anjo pode se identificar com seu parceiro, para não interferir com as vivências que ele ou ela deve completar. Na descida do anjo caído, a amnésia provoca o esquecimento do amor e de tudo o que isso representa, mas na consciência existe uma profunda saudade de algo insubstituível que se perdeu e não consegue explicar.

O que está comentando Kardiel, disse Arcelia, nos traz lembranças de nossas próprias experiências que, embora faz tempo que passou, alguns eventos dolorosos ainda estão presentes.

Agora, disse Kardiel, mudando um pouco de tema, gostaria de comentar algumas das atividades adicionais que realizam os Anjos, que descem para auxiliar a seu parceiro ou em missões específicas. O tempo que fica livre se trabalha no ensino, com pessoas encarnadas: através do contato telepático, em projeção holográfica ou em projeção mental. O contato telepático se utiliza em geral durante o sonho do receptor ou em níveis de meditação profunda.

A projeção holográfica, disse Arcelia, é visível na terceira ou quarta dimensão, se utiliza sob determinadas condições e com a permissão correspondente. A projeção mental só é possível quando a mente do receptor tem desenvolvido a faculdade de ver e ouvir em forma transdimensional, não precisa um nível mental específico e pode realizar-se a qualquer momento.

Também, disse Kardiel, se trabalha nas zonas fantasma ou astral, prestando auxílio psicológico e espiritual a pessoas desencarnadas. Esta última atividade se conhece como a obra que desenvolve a Fraternidade Branca. Arcelia interveio, agora na sua voz se sentia uma grande alegria.

No transcorrer das missões as viagens são maravilhosas. Geralmente vamos com nosso parceiro, uma vez que conhecemos o objetivo do trabalho a desenvolver, nos encarregamos de planejar a forma de cumpri-lo. Discutimos o enfoque e a maneira de executá-lo, tudo o dividimos com entusiasmo, felizes de servir a nossos irmãos.

As escolas iniciáticas

No dia seguinte, Kardiel iniciou o tema: As chamadas escolas iniciáticas ou herméticas têm existido em todas as épocas. Foram estabelecidas em todos os pontos do planeta. Tem trabalhado com certas pessoas de todas as raças e grupos étnicos. Com diferentes nomes e diversos métodos de estudo e de trabalho, permanecem ocultas aos olhos da maioria dos humanos, para não interferir em seu processo evolutivo. Buscam e convidam ao estudo somente pessoas que estão terminando sua etapa evolutiva e aos que têm descido a completar uma experiência.

O objetivo de estes lugares, disse Arcelia, é orientá-los para evitar que se envolvam nos eventos planetários que lhes obriguem a permanecer mais tempo do necessário neste Plano. Tudo isso deve realizar-se, sem interferir em nada com seu livre arbítrio. O trabalho se realiza dentro de uma estrita disciplina por meio de exercícios especiais, alimentação natural, estudos, orações rítmicas (mantricas) e algumas práticas de projeção mental.

O resultado, explicou Kardiel, é a harmonia de seus corpos, a que prepara o estudante ao desbloqueio gradual de sua mente. Assim começará a conhecer e em alguns casos, a “lembrar” a vida na quarta dimensão do Quarto Plano.

Este livro, disse Arcelia, tem a mesma finalidade. Como já antes mencionado nos tempos atuais a maior parte dos seres humanos terminou sua etapa evolutiva, razão pela qual estes conhecimentos podem ser dados a luz pública para que livremente quem deseje segui-los, conte com o guia necessário para harmonizar seus corpos. Os conceitos que aqui se vertem, foram expressos durante séculos em tais recintos. O único que temos mudado é forma de linguagem, para adaptá-lo a época atual.

O trabalho, disse Arcelia, se inicia quando o estudante levanta uma ponta do véu que cobre a terceira dimensão e percebe da existência de outras dimensões e outros mundos. Uma vez que começa a assimilar os novos conceitos, se trabalha nas rotinas físicas que darão ao seu corpo a elasticidade e condições necessárias para integrar seus outros corpos.

As rotinas de exercícios

Os exercícios corporais que vamos a descrever, disse Kardiel, são a base ou fundamento de todo este trabalho. Se não são praticados diariamente, o resto do programa não terá os efeitos desejados. O benefício adicional é manter um corpo saudável e harmonioso.

Importante recomendação. Qualquer mudança nos hábitos diários esclareceu Arcelia, deve iniciar-se pouco a pouco, pensando sempre em dar um só passo de vez. Isso lhe permite ao organismo sua gradual adaptação, sem sofrer nenhum desajuste ou moléstia.

Esta recomendação, disse Kardiel, é o princípio da disciplina básica que deverá se ter presente em todas e cada uma das partes do Programa. Não importa si se trata de novos exercícios, nova alimentação ou novas práticas mentais, o mais importante é compreender que para obter resultados estáveis necessitamos adaptar gradualmente nosso corpo, sem exceder-se em nenhum aspecto.

Agora, lhes sugiro irmos ao parque para que Arcelia execute os movimentos e eu possa explicá-los.

1- Estiramento Inicial

Quando chegamos, Kardiel continuou explicando, vamos ver como através de determinados movimentos, se manejam diferentes tipos de energia. Neste momento Arcelia começou a respirar profundamente, ao mesmo tempo em que fechava os olhos e se concentrava em seu corpo. Depois, abriu os olhos e muito lentamente começou a esticar os braços para cima, fazendo um esforço como se estivesse mantendo nas mãos algo pesado.

Alguns minutos depois os movimentavam para os lados, primeiro o direito e depois o esquerdo, muito lentamente, também como se em cada movimento estivesse deslocando grandes objetos.

Em seguida começou a esticar cada uma das pernas para frente, para trás, para o lado e para o outro também. Em cada movimento alternava giros rotatórios muito lentos, de: pescoço, ombros, cotovelos, pulsos, cintura, quadris, joelhos e tornozelos. Todo o processo demorou aproximadamente 7 minutos.

Este exercício, explicou Kardiel, permite que todas as articulações conectem-se com as estruturas energéticas, o que favorece o livre deslocamento do fluxo sanguíneo, propiciando elasticidade aos músculos, tendões e ligamentos.

2- Resíduos de energia sutil

Depois de alguns momentos de descanso, Arcelia voltou a respirar profundamente, concentrando-se novamente em seu corpo. Começou a andar em forma rítmica, como se estivesse marchando; pouco a pouco acelerou o passo e em poucos minutos começou a trotar; ao final, sem perder o ritmo, estava correndo. O tempo que usou foi de 10 minutos.

O exercício rítmico, disse Kardiel, praticado ao ar livre e em deslocamento contínuo, permite que os resíduos do corpo de energia sutil saiam do organismo, com o que se evita que estes interfiram com os fluxos da Grande Corrente e provoquem cansaço e mau funcionamento.

3- Resíduos de energia biológica

No seguinte exercício, disse Arcelia, vou a liberar os resíduos de energia biológica. Trabalha-se sacudindo com força os braços e pernas, como se lançássemos as mãos e os pés.

Começa-se com o braço direito. Sacudindo-o cinco (5) vezes. Em cada sacudida se faz uma exalação pela boca, com força fazendo um som parecido a um RHAI. Faz-se uma pausa e relaxa o membro que se deslocou, para a liberação da tensão muscular, antes de movimentar o outro membro. Em seguida braço esquerdo em igual forma que o direito.

Continua-se a trabalha com as pernas. Começa-se com a perna direita, sacudindo o pé, cinco (5) vezes. Em cada sacudida, a exalação agora é pelo nariz, com a boca fechada.

Faz-se uma pausa e relaxa o membro que se deslocou, para liberar a tensão muscular, antes de movimentar o outro membro.

Em seguida com a perna esquerda, se sacode o pé, da mesma forma que se fez com a perna direita. Soltando o ar pelo nariz, com a boca fechada. O exercício durou sete (7) minutos.

Nestes movimentos, explicou Kardiel, a energia que sai do organismo são os resíduos das cargas depositadas em músculos, abdome e tórax. Quando permanece no corpo, provoca fadiga muscular, má digestão e dores nas costas.

4- Trabalho com o chí (KÍ) ou energia vital

Depois destes exercícios, Arcelia parou e disse: Agora começarei a quarta rotina do dia.
Novamente fez algumas respirações profundas e esclareceu, o momento de concentração tem por objetivo que esqueça meu corpo e minha mente, para sentir o “chí”, que é a energia que flui através de mim e me conecta com tudo o que existe ao meu redor.

Em voz muito baixa Kardiel comentou: Ao esquecer seu corpo, sentirá com toda clareza o chí. Começar-se-á a formar uma corrente entre ela e tudo o que a rodeia. Observa, os movimentos que agora realiza são muito lentos assim os manterá, até que consiga sentir a energia fluindo dentro e fora de seu corpo.

Kardiel continuo explicando: O chí é a combinação de: prana ou energia do ar, pradi ou energia da água e praxi ou energia da terra. Conhecida como a Grande Energia que flui através de tudo o que existe. Quando um permite que o chí flua livremente, através do chí do ambiente se conectam as correntes de todas as entidades vivas que existem no entorno.

O chí flui através dos campos unificados de cada um, formando uma Unidade na qual não existem diferenças, tudo vibra em um mesmo ritmo. Vimos como Arcelia se aproximava de umas árvores movimentando suas mãos, como se entre elas estivesse sustentando uma grande esfera etérea que passava através das árvores.

Ao inclinar-se suavemente tocava com a esfera o pasto e as flores, em um jogo muito harmonioso que a divertia e a fazia sorrir.

Olha, me disse Kardiel, isto é Tai Chí. Observa como todo seu corpo se movimenta seguindo as linhas do fluxo da Grande Energia, numa espécie de dança muito lenta. Com uma voz apenas perceptível, Arcelia, disse: A energia das árvores, das flores e do ar é igual a meu “chí” tudo é um, somos uma unidade.

Nesta prática, disse Kardiel, inicia-se a coerência elétrica entre três das sete partes do ser humano: entidade biológica, estruturas energéticas e energia sutil. Nas seguintes etapas do programa, ao trabalhar nos corpos emocional e mental, o tai chí permitirá estabelecer contato com níveis mais profundos da mente e da Alma.

CAPÍTULO QUINTO

Os geradores de energia emocional ou chakras

Começaremos analisando as emoções e os sentimentos, onde são gerados e como se alteram. Uma parte da energia vital, em especial a que provêm dos alimentos, destina-se a vinte e um centros que existem no organismo. Estes centros cumprem duas funções. A primeira encarrega-se de gerar impulsos de ativação molecular e fatores de integração destinados a manter a forma das moléculas. A segunda função consiste em transformar em seu interior a energia necessária para gerar correntes com as quais se expressam instintos, emoções e sentimentos.

Sete desses centros, disse Arcelia, trabalham com os instintos. Outros sete geram energia para expressar as emoções e os sete restantes produzem as correntes com as quais se expressam os sentimentos. Em algumas filosofias orientais estes centros são conhecidos como “chakras”. Kardiel se dirigiu a mim e me disse: Considero importante mostrar numa lamina a localização dos geradores, assim como os circuitos de retro-alimentação, já que são os lugares nos quais fica presa a energia emocional alterada e que finalmente se converte no “inimigo interior”.

Cor – energia – Instinto – Emoção – Sentimento

1º Vermelha – térmica – Reprodução – Sexualidade – Amor
2º Verde – cinética – Compaixão – Sensibilidade – Ternura
3º Amarela – magnética – Temperamento - Força Interior – Decisão
4º Branca – neutra – Autopreservação – Medo – Previsão
5º Azul – luminosa – Ambições – Produtividade – Superação
6º Laranjada – estática – Intelecto – Interesse no estudo
7º Roxo – pulsante – Vontade do Eu – Fé – Espiritualidade

O “inimigo interior”

As alterações dos estados emocionais, disse Kardiel, tem um responsável: o “inimigo interior”. Este tema é um dos mais importantes do livro. Do fato de poder conseguir uma boa explicação do que é o “inimigo interior” criará o interesse necessário para que as pessoas desejem realizar o trabalho de limpeza energética proposto no Programa de Vida.

Os corpos de energia sutil

Como precedentes, disse Arcelia, é importante saber que como resultado do processo vital no interior do organismo, a cada 60 minutos se forma um corpo de energia sutil.
Quando uma pessoa permanece sem movimento por algumas horas ou durante o sono, formam-se vários desses corpos que finalmente se convertem em cargas de energia residual. Estas cargas se liberam facilmente quando o indivíduo entra em movimento.

Numa vida sedentária, a pessoa tem poucos movimentos, sua energia residual lhe produz fadiga e cansaço já que interfere com o fluxo das correntes vitais. Para liberar-se diariamente de todos esses resíduos e manter uma vitalidade completa, precisa-se praticar diariamente pelo menos o segundo dos exercícios que descrevemos anteriormente (caminhar, trotar e/ou correr ao ar livre, diariamente de 20 a 30 minutos).

O corpo de energia densa

Bem, continuou explicando Arcelia, quando o indivíduo vibra num estado emocional alterado, por exemplo, numa etapa de ciúmes, ódio, rancor, luxuria, etc. todas suas correntes se alteram. Estas correntes modificam a vibração do corpo de energia sutil, o qual entra em ressonância com os geradores alterados e fica preso entre eles e a medula espinhal.

Um corpo sutil preso, falou Kardiel, não pode converter-se em cargas residuais livres, se mantém atuante, alimentando-se com a energia dos geradores. Por isso, NÃO pode liberar-se ao fazer exercício e permanece no organismo indefinidamente. Este é o início da formação do “inimigo interior”.

Um exemplo

Kardiel aproximou-se da janela e nos disse: Observem o casal que está na esquina, estão discutindo. Seus gestos e expressões são de ira e violência. Enquanto cada um deles está numa etapa emocional alterada, suas correntes vibram numa freqüência flutuante.

A aura de ambos está avermelhada, a vibração da ira se transmite para seus corpos sutis, modulando sua energia na mesma longitude de onda da emoção que estão expressando. Quando esse evento termina e começam novamente a vibrar em forma harmônica, os corpos sutis já não poderão sair, ficarão presos indefinidamente.

Os primeiros danos

Assim, explicou Arcelia, desde os primeiros anos da vida, o ser humano foi formando seu corpo de energia densa, com a vibração de cada estado emocional alterado. Este atrai por ressonância as novas flutuações dos estados emocionais, quer dizer “se nutre” com a energia de cada nova etapa de ódio, ira, ciúmes ou rancor.

Se a pessoa tem “mau caráter”, disse Kardiel, ou melhor, se a pessoa se altera facilmente, o corpo denso será cada vez mais forte. No início, dependerá do lugar do organismo com o qual se faz contato, provocam dores e moléstias físicas, que se interpretam como alterações psicossomáticas. Produzem-se flutuações nos estados emocionais que se manifestam como intolerância, impaciência, insatisfação, tristeza ou medos infundados. Estes podem ser isolados ou freqüentes, de acordo com a força adquirida pelo corpo denso.

As emoções fortes

Kardiel continuou explicando: O “inimigo interior” é a soma de energias que foram geradas em todos os estados emocionais alterados nos quais tem vibrado a pessoa ao longo de sua vida. Gradualmente penetra as estruturas biológicas, energéticas, emocionais e mentais, chegando a formar parte integral do individuo.

Quando não recebe estímulos alterados, começa a perder força. Converte-se numa presença demandante que exige eventos de violência, agressão, sadismo, ódio, luxuria etc. Se na vida real esses eventos não acontecem, busca este tipo de energias através de filmes, programas de televisão, livros ou revistas com um alto conteúdo de violência e agressividade.

O corpo denso é um mal conselheiro e em alguns casos, é um verdadeiro demônio que se apossa do raciocínio e a vontade do indivíduo até obter o que deseja. Inicia-se a luta interior, disse Arcelia, entre a inteligência e o inimigo interno que ao se enfraquecer, trunca qualquer projeto de superação. O indivíduo entra em estados de angustia, fica irascível, intolerante, depressivo, sempre cheio de ansiedade, o que provoca cansaço físico e fadiga mental.

A dependência de estimulantes

No transcorrer desses estados, falou Kardiel, estimulantes como o tabaco, álcool e drogas, fazem da pessoa um “alvo fácil” já que adormecem algumas das moléstias. Ao descer no organismo a concentração de estimulantes, o indivíduo trata de ficar temporária ou permanentemente longe delas. É quando o corpo denso se encarrega de “exigir” novas doses, com o que se estabelece a adição. Para terminar, com a parte desagradável do tema, acrescentou Arcelia, lhes direi que estas cargas anormais deturpam o processo vital, interferem com o metabolismo celular, favorecem o envelhecimento prematuro e interferem com a atividade mental provocando indecisão e confusão nas idéias.

A liberação do inimigo interior

Os seres humanos, disse Kardiel, procuram ajuda e soluções através da psicologia e da psicodinâmica. Formam-se grupos de apoio que realizam práticas para reforçar o controle da vontade. Em ocasiões, com o simples fato de mudar os hábitos de saúde, se atingem avanços muito consideráveis. Mas, quando o inimigo é mais forte, é implacável. As lutas internas irritam e desgastam os indivíduos e suas famílias.

Arcelia, falou: Daí a importância de dissolver completamente esta energia e eliminá-la do organismo, para que a pessoa possa alcançar a liberdade de ação, de pensamento e decisão, conseguindo assim suas metas e objetivos, sem flutuações nem recuos. Quando temos claro este conceito, a dissolução do “corpo denso” se converte no primeiro objetivo a alcançar.

O Poder das Esferas

Vamos analisar, falou Kardiel, algumas das propriedades físicas das esferas de cristal.
Os instintos, emoções e sentimentos do ser humano se geram através dos 21 geradores ou chakras do organismo, que estão presentes nas três bandas de freqüência.

Uma esfera de cristal numa dimensão pode atuar em todas as bandas de freqüência dessa dimensão. Para dissolver o corpo denso, disse Arcelia, usa-se uma unidade formada por 21 esferas pequenas.

As esferas extraem somente a energia indesejável. Ao atuar desde a primeira banda até a terceira, liberam completamente o individuo de toda energia densa, ou seja, extraem as cargas que formam o “inimigo interior”.

Por causa do tamanho de cada esfera, disse Kardiel, a extração de energia densa é gradual, quando chegam a seu ponto de saturação, todas as cargas que saíram, voltam ao organismo filtradas e equalizadas, quer dizer, volta energia limpa que será aproveitada integralmente.

Quando já não existem energias densas, há harmonia. O processo de transformação no indivíduo começou.

CAPÍTULO SEXTO

A mente e o pensamento

"No corpo de energia, no encéfalo, existem seis esferas mentais. Estas formam parte das estruturas constantes, quer dizer que no processo da morte, não se desintegram com o corpo de energia, saem junto com a Alma e o Espírito, para continuar sua evolução".
É necessário, disse Arcelia, fazermos uma breve revisão sobre o conceito da mente, o processo do pensamento e os níveis mentais para poder realizar as "projeções mentais".

Localização e correspondência anatômica

A primeira esfera é o Pré-consciente, localiza-se envolvendo o cerebelo. A segunda, é o Subconsciente, está no centro do encéfalo. A terceira, é a mente Consciente, encontra-se no lóbulo frontal direito. A quarta, é o Consciente Contínuo, localiza-se no lóbulo frontal esquerdo. A quinta esfera é a mente Supra-consciente, localiza-se no lóbulo parietal esquerdo e a sexta, é a mente subliminar, localizada no lóbulo parietal direito.

Processo pensante

Durante o estado de vigília, ou seja, enquanto estamos acordados, as percepções que temos através dos sentidos são gravadas em partículas que são produzidas no citoplasma dos neurônios do cérebro. As partículas gravadas arquivam-se em forma ordenada nas fissuras cerebrais e chamam-se memórias temporais. Ao receber um novo estímulo, rastreiam-se os dados nas memórias, ordenam-se e emite-se uma resposta.

Níveis mentais

As esferas terceira, quarta, quinta e sexta, têm no seu interior três círculos chamados de películas inter-estratos. Estes círculos dividem cada esfera formando quatro espaços chamados níveis mentais: Alfa, Beta, Teta e Delta. Nestes espaços maneja-se uma longitude de onda diferente, o que permite em cada caso, pensar com uma velocidade diferente.

Nesse ponto, disse Kardiel, gostaria de fazer alguns esclarecimentos. Em termos gerais, BETA é o nível usado durante o estado de vigília ou acordado.

ALFA é um nível no qual se realiza um processo pensante mais nítido, serve para a reflexão, o raciocínio profundo e a imaginação. Neste nível podem se manejar as imagens lentamente, selecioná-las e combiná-las até atingir o resultado desejado.

O nível TETA é utilizado durante o sono em diversas atividades. De maneira inconsciente projetam-se às cargas do Subconsciente que posteriormente servem como material de análise nos processos da psicanálise.

Em forma consciente ou inconsciente, também serve para projetar dados da mente Subliminar e resolver problemas, que têm mantido nossa atenção durante algum tempo. Outra forma de usar esse nível mental é realizar deslocamentos consciente e inconsciente para a "zona fantasma".

DELTA é o nível através do qual podem se realizar uma série de atividades, usando as projeções mentais e as faculdades da Alma.

Películas inter-estratos e memórias ancestrais

Os circuitos que formam os níveis mentais se conhecem como películas inter-estratos. Nelas gravam-se os eventos mais importantes de cada vida ou lapso de vivência.

Atividade alternada

Durante o tempo que a Alma encarna na terceira dimensão, trabalha com as mentes Subconsciente, Consciente e Subliminar. (2ª. 3ª. e 6ª. esferas). Ao encarnar como Espírito, na quarta dimensão, trabalha com as mentes Pré-consciente, Consciente Contínuo e Supra-Consciente (1ª. 4ª e 5ª esferas). Através de alguns trabalhos mentais, pode-se permitir o acesso ao aprendizado em quarta dimensão.

A projeção mental

Esta, disse Arcelia, é uma das informações mais úteis e interessantes. Explica como se pode realizar um deslocamento para colocar você mesmo em outro lugar. Para compreender este processo, vamos explicar alguns dados importantes: No corpo de energia geram-se constantemente oito tipos de partículas chamadas "operadores". Estas formas microscópicas cumprem diferentes funções.

Alguns desses operadores, disse Kardiel, em especial os que funcionam como "codificadores de dados" contém uma réplica holográfica do indivíduo, quer dizer, uma imagem virtual do corpo completo com todas suas funções mentais e a capacidade de perceber através de seus sentidos. Podem ser observadores a distância e transmitir ao cérebro real toda a informação, em forma simultânea.

Claridade e veracidade da transmissão

Para fazer uma projeção mental consciente, explicou Arcelia, temos previamente que analisar vários aspectos e cumprir com certos requisitos:

1º Que o corpo não esteja realizando nenhum processo de digestão de alimentos, para que a energia flua livremente.

2º Sentar-se (de preferência num banquinho de meditação) com as costas retas e a cabeça erguida.

3º Sem curvar as costas ou inclinar a cabeça. Liberar a tensão muscular, especialmente nos ombros e pescoço.

4º Fazer algumas respirações profundas, inalando pelo nariz e exalando pela boca, para oxigenar o cérebro.

5º Eliminar da mente qualquer tipo de pensamento ou imagens mentais que interfiram no processo.

6º Definir com claridade o lugar e onde se deseja ir.

7º Concentrar a atenção no sétimo gerador (chakra), de cor violeta. Neste lugar está o controle da vontade do Eu.

8º Desde ai, se envia o operador ao lugar desejado.

9º Sem usar a imaginação, inicia-se a recepção de imagens.

Este processo, continuou dizendo Arcelia, não é difícil, com um pouco de prática, pode-se realizar com facilidade, se não esquecermos que:

a) Da precisão com a que se fixe o objetivo, e;

b) Quanto maior a claridade mental que se mantém para receber as imagens, maior será veracidade do que está se observando.

Quando mudamos abruptamente de objetivo, disse Kardiel, por exemplo, em projeção mental nos encontramos a beira de um rio e nesse momento pensamos mudar de localização e nos colocamos no centro da cidade, esse processo precisa do envio de outro operador, já que aquele que chegou a um lugar não pode desde ai, deslocar-se a outro lugar diferente.

Se não se leva em conta este procedimento, a mente começa a "imaginar" e a partir desse momento, tudo o que chega à tela mental não é uma visão a distância e sim uma composição de dados e imagens que tínhamos nos arquivos das memórias.

Viajar ao microcosmo

A projeção mental, continuou dizendo Kardiel, é uma faculdade que precisa de uma mente disciplinada. Em troca desse esforço, inicialmente podemos alcançar um conhecimento profundo da natureza. Para começar o desenvolvimento e controle dessa faculdade, deve-se programar viagens ao interior de uma planta, uma flor, um animal, um rio, ou oceano..., sempre e quando se compreendam quais são os alcances e as limitações de um operador.

Este é outro exemplo: se vamos observar uma flor, o operador chegará a certa distância da flor e transmitirá tudo o que está observando, desde fora da flor. Se nesses momentos pensamos em estar dentro de uma flor e sentir sua vibração, nosso pensamento cancelará a percepção real e começará a imaginar tudo o que se sabe de uma flor.

Nesses trabalhos, continua-se viajando ao interior de uma rocha ou de uma pedra preciosa e observar sua estrutura a níveis microscópicos ou quânticos. O eu vontade ordena e o operador se desloca e transmite o que vê, o que escuta ou o que percebe.

Se desejamos, disse Arcelia, dar passos seguros e avançar gradualmente, não se deve tentar as projeções ao cosmos, nem outras dimensões, ou realizar curas a distância.

Tudo isso poderá realizar-se "sem imaginar" o que estamos conseguindo, se em troca disso estamos dispostos a dar um passo de cada vez, e não tratar de obter resultados imediatos, sem conhecer qual é o procedimento em cada caso.

Avaliação dos estados emocionais

Estamos assumindo, disse Kardiel, que as rotinas de exercícios físicos e o trabalho com as esferas já formam parte dos hábitos diários, isso garantirá que passemos do nível da imaginação para verdadeira projeção mental. Em caso afirmativo, disse Arcelia, o momento ideal é ao terminar as rotinas de exercícios físicos que se praticam diariamente e que devem demorar de 30 a 45 minutos. Depois do Tai Chí, uma vez que sentimos todas as correntes energéticas fluindo livremente, se inicia a primeira prática mental. Se neste horário não é possível, pode-se praticar a noite ou muito cedo pela manhã, no seu banquinho de meditação, sem tensão muscular ou emocional.

Nas seguintes práticas se trabalha com os geradores. Por causa da força que eles têm, não devem realizar-se diariamente. Somente um deles por vez, e unicamente a cada quatro dias.

O Kung Fú

Esta informação, disse Kardiel, é uma parte do princípio esotérico do Kung Fú (consciência plena). A princípio, este conhecimento se utiliza para conhecer a harmonia ou desarmonia que existe em nossos geradores, tomando como parâmetros alguns elementos da natureza.

Vou explicar este conceito mais amplamente: Na diversidade de espécies do reino animal, cada um deles mantêm uma freqüência vibratória específica. A vibração de um determinado animal coincide, numa oitava mais baixa, com a que produz um gerador do corpo humano.

Por exemplo, a vibração de uma cobra coincide com a do primeiro gerador. A do tigre é semelhante a do segundo gerador. A vibração do leão coincidi com a do terceiro gerador. A tarântula nos permite conhecer o estado do nosso quarto gerador. A vibração de um formigueiro ou uma colméia é semelhante a do quinto gerador. Antes de falar dos geradores superiores, eu proponho fazermos uma prática.

A cobra real

Neste momento, disse Arcelia, vamos conhecer o nível de equilíbrio que guarda o primeiro gerador. O procedimento é o seguinte: nos sentamos num banquinho de meditação, liberamos o corpo de tensões musculares, emocionais e mentais.

Vamos localizar uma cobra real. Não tentemos de imaginá-la. Projetaremos um operador, deslocando-o em vôo pela Índia, onde com certeza encontraremos uma cobra. Uma vez que a tenhamos localizado na tela mental, projetaremos outro operador no tamanho natural e nos colocaremos sentados à frente da cobra.

O animal pode ver e sentir a presença do operador, e embora já não exista o inimigo interior, se não há harmonia na sexualidade ou não há amor, a cobra o detecta, se altera e pode atacar ao operador.

O instinto nos fará reagir com medo ou rejeição, ainda quando saibamos que no corpo virtual do operador, qualquer ataque é irreal, nada pode danificar-nos e não estamos em perigo.

A cobra simplesmente é um elemento muito real que nos serve como parâmetro para medir com exatidão o estado do primeiro gerador. Quando há harmonia no primeiro chakra, o animal não se altera e nós não sentimos medo ou repulsa.

Isto indica que o chí flui livremente entre ambos, a vibração é harmônica e se forma a unidade. Nesse estado, a energia vermelha do primeiro gerador, com a que se manifesta a sexualidade, começa a mudar de tom até chegar a uma cor rosa intensa.

A chama rosa

Essa é a vibração do amor, disse Kardiel, se deixamos que essa corrente possa tomar conta de todo o organismo, nos converteremos numa "chama rosa" cuja força penetra todas as estruturas celulares, já não no "operador", senão em nosso corpo real.

O gerador beneficia-se, qualquer alteração que possa ter, por pequena que for começa a corrigir-se, até ficar com uma estrutura perfeita. Quando desejamos terminar essa prática, simplesmente inala-se profundamente, para passar do nível Alfa profundo ao Alfa superficial. O operador já não importa uma vez que já completou sua função, é uma energia que se desintegra no ambiente.

A projeção mental, continuou explicando Kardiel, é uma prática muito útil, embora NÂO devem realizar-se exercícios ao mesmo dia. Em especial, este tipo de prática onde se maneja correntes de grande força, como indicou Arcelia, somente podem ser feitas uma vez a cada quatro dias.

O tigre e o leão

Através dessas práticas, comentou Arcelia, se consegue não só o equilíbrio dos geradores, senão a correção de qualquer alteração que se possa ter em suas estruturas. Para trabalhar com o segundo gerador se busca o tigre. Através dele, se conhecem os níveis de emotividade.

Ao conseguir que o chí flua entre ambos, a energia verde fosco vai mudando, se faz mais brilhante, até conseguir o tom e brilho das esmeraldas. Com estas correntes, no corpo real, forma-se a "chama verde" com a qual a emotividade converte-se em sensibilidade.

Esta energia também estimula as correntes do sistema linfático, ativa as defesas do organismo e mantêm o estado de saúde. O leão, falou Kardiel, nos permite conhecer o estado de equilíbrio do terceiro gerador, o qual é encarregado de produzir as energias com as que se expressam o temperamento e o caráter.

Estas correntes são de cor âmbar, embora, quando flui o chí entre o leão e o indivíduo, começa a tomar tons dourados. Ao formar-se a "chama dourada", se inicia um processo muito interessante: nesse estado dá-se o começo ou despertar do Ki ou força interior, mediante a qual se estabelece a conexão com o Ser e se tem permissão para conectar os recintos da Alma.

Ao terminar de falar dos geradores, começaremos a descrição do Ki.

A tarântula e a colméia

A tarântula, disse Arcelia, é o parâmetro para medir a confiança em você mesmo, em ausência de medos e temores. É o equilíbrio do quarto chakra. A harmonia neste gerador existe quando você é capaz de observar seus movimentos e comportamento, tentando compreender a razão da existência neste planeta e o papel que desenvolve dentro do ecossistema.

Nessas condições o chí ou energia vital, flui entre ambos e se forma a unidade.
A energia branca grisalha das emoções de medos e temores vai se transformando na "chama branca" brilhante que, ao invadir todo o organismo proporciona um estado de consciência no qual se sente plenamente a paz interior.

Por outro lado, disse Kardiel, o quinto chakra se avalia no interior de uma colméia.
Neste caso a projeção mental se reduz de tamanho e o holograma que se desloca é do tamanho de uma abelha.

Aqui comparas a ordem e a disciplina dos animais com tua produtividade. A observação de todos os membros da colméia permite que teu chí flua livremente. Tua presença forma parte da colméia e longe de impedir seu trabalho, permite a você passar desapercebido entre elas.

O azul fosco da energia das ambições, gradualmente se converte no azul brilhante da produtividade. Com esta energia, forma-se em teu corpo real, uma "chama azul" brilhante que inunda todo teu organismo. E assim pode entrar em estados de certeza, clareza mental e verdade.

O dragão das sete cabeças

Por último, disse Kardiel, vamos ver a forma de avaliar os dois geradores superiores.
O equilíbrio do sexto chakra reflete a claridade do intelecto. Neste caso, faremos um exercício de psicodinâmica.

Nosso parâmetro será uma imagem formada por um dragão de sete cabeças, que sai de nosso próprio subconsciente. Quando inicia este trabalho, falou Arcelia, se coloque frente ao corpo de um dragão imaginário, do qual saem sete cabeças.

A cabeça principal é a tua, indicando o controle que você tem sobre sua inteligência. As outras seis correspondem á cobra, o tigre, a tarântula, a abelha rainha e o dragão. Estas representam as influências que exercem os diferentes tipos de emoções, sobre teu intelecto.

Sua presença se manifesta como instabilidade ou indecisão em momentos importantes de tua vida, nos que a claridade se ofusca porque te invadem as emoções. Se uma das cabeças do dragão é maior que as outras, indica qual das emoções pode controlar tua mente.

Ao enfrentar o dragão, explicou Kardiel, se analisa com detalhe a atitude das cabeças.
Se estão tranqüilas ou são dominantes e agressivas. Esta forma de psicodinâmica ajuda a ter um conhecimento mais profundo de quais emoções domina o intelecto.

Além de observar, começas a deixar que o chí flua através de teu corpo, até que o corpo do dragão e cada uma de suas cabeças, se conectem com teu chí. Conforme isto acontece, o chí flui e a agressividade das cabeças vai perdendo força.

Pouco a pouco vão se reabsorvendo, até ficar somente tua própria cabeça. Ao final, o corpo do dragão se transforma em teu próprio corpo. Você está sentado frente a você mesmo. Isto te indica que tuas emoções são controladas pela inteligência, sem que nenhuma delas interfira em tuas decisões.

O sexto gerador produz uma energia alaranjada, quando essa corrente vira brilhante, se forma uma "chama alaranjada" que invade todo teu organismo. O sexto chakra está em equilíbrio.

O corpo de energia densa

Bem, continuou explicando Arcelia, quando o indivíduo vibra num estado emocional alterado, por exemplo, numa etapa de ciúmes, ódio, rancor, luxuria, etc. todas suas correntes se alteram. Estas correntes modificam a vibração do corpo de energia sutil, o qual entra em ressonância com os geradores alterados e fica preso entre eles e a medula espinhal.

Um corpo sutil preso, falou Kardiel, não pode converter-se em cargas residuais livres, se mantém atuante, alimentando-se com a energia dos geradores. Por isso, NÃO pode liberar-se ao fazer exercício e permanece no organismo indefinidamente. Este é o início da formação do “inimigo interior”.

Um exemplo

Kardiel aproximou-se da janela e nos disse: Observem o casal que está na esquina, estão discutindo. Seus gestos e expressões são de ira e violência. Enquanto cada um deles está numa etapa emocional alterada, suas correntes vibram numa freqüência flutuante.

A aura de ambos está avermelhada, a vibração da ira se transmite para seus corpos sutis, modulando sua energia na mesma longitude de onda da emoção que estão expressando. Quando esse evento termina e começam novamente a vibrar em forma harmônica, os corpos sutis já não poderão sair, ficarão presos indefinidamente.

Os primeiros danos

Assim, explicou Arcelia, desde os primeiros anos da vida, o ser humano foi formando seu corpo de energia densa, com a vibração de cada estado emocional alterado. Este atrai por ressonância as novas flutuações dos estados emocionais, quer dizer “se nutre” com a energia de cada nova etapa de ódio, ira, ciúmes ou rancor.

Se a pessoa tem “mau caráter”, disse Kardiel, ou melhor, se a pessoa se altera facilmente, o corpo denso será cada vez mais forte. No início, dependerá do lugar do organismo com o qual se faz contato, provocam dores e moléstias físicas, que se interpretam como alterações psicossomáticas. Produzem-se flutuações nos estados emocionais que se manifestam como intolerância, impaciência, insatisfação, tristeza ou medos infundados. Estes podem ser isolados ou freqüentes, de acordo com a força adquirida pelo corpo denso.

As emoções fortes

Kardiel continuou explicando: O “inimigo interior” é a soma de energias que foram geradas em todos os estados emocionais alterados nos quais tem vibrado a pessoa ao longo de sua vida. Gradualmente penetra as estruturas biológicas, energéticas, emocionais e mentais, chegando a formar parte integral do individuo.

Quando não recebe estímulos alterados, começa a perder força. Converte-se numa presença demandante que exige eventos de violência, agressão, sadismo, ódio, luxuria etc. Se na vida real esses eventos não acontecem, busca este tipo de energias através de filmes, programas de televisão, livros ou revistas com um alto conteúdo de violência e agressividade.

O corpo denso é um mal conselheiro e em alguns casos, é um verdadeiro demônio que se apossa do raciocínio e a vontade do indivíduo até obter o que deseja. Inicia-se a luta interior, disse Arcelia, entre a inteligência e o inimigo interno que ao se enfraquecer, trunca qualquer projeto de superação. O indivíduo entra em estados de angustia, fica irascível, intolerante, depressivo, sempre cheio de ansiedade, o que provoca cansaço físico e fadiga mental.

A dependência de estimulantes

No transcorrer desses estados, falou Kardiel, estimulantes como o tabaco, álcool e drogas, fazem da pessoa um “alvo fácil” já que adormecem algumas das moléstias. Ao descer no organismo a concentração de estimulantes, o indivíduo trata de ficar temporária ou permanentemente longe delas. É quando o corpo denso se encarrega de “exigir” novas doses, com o que se estabelece a adição. Para terminar, com a parte desagradável do tema, acrescentou Arcelia, lhes direi que estas cargas anormais deturpam o processo vital, interferem com o metabolismo celular, favorecem o envelhecimento prematuro e interferem com a atividade mental provocando indecisão e confusão nas idéias.

A liberação do inimigo interior

Os seres humanos, disse Kardiel, procuram ajuda e soluções através da psicologia e da psicodinâmica. Formam-se grupos de apoio que realizam práticas para reforçar o controle da vontade. Em ocasiões, com o simples fato de mudar os hábitos de saúde, se atingem avanços muito consideráveis. Mas, quando o inimigo é mais forte, é implacável. As lutas internas irritam e desgastam os indivíduos e suas famílias.

Arcelia, falou: Daí a importância de dissolver completamente esta energia e eliminá-la do organismo, para que a pessoa possa alcançar a liberdade de ação, de pensamento e decisão, conseguindo assim suas metas e objetivos, sem flutuações nem recuos. Quando temos claro este conceito, a dissolução do “corpo denso” se converte no primeiro objetivo a alcançar.

O Poder das Esferas

Vamos analisar, falou Kardiel, algumas das propriedades físicas das esferas de cristal.
Os instintos, emoções e sentimentos do ser humano se geram através dos 21 geradores ou chakras do organismo, que estão presentes nas três bandas de freqüência.

Uma esfera de cristal numa dimensão pode atuar em todas as bandas de freqüência dessa dimensão. Para dissolver o corpo denso, disse Arcelia, usa-se uma unidade formada por 21 esferas pequenas.

As esferas extraem somente a energia indesejável. Ao atuar desde a primeira banda até a terceira, liberam completamente o individuo de toda energia densa, ou seja, extraem as cargas que formam o “inimigo interior”.

Por causa do tamanho de cada esfera, disse Kardiel, a extração de energia densa é gradual, quando chegam a seu ponto de saturação, todas as cargas que saíram, voltam ao organismo filtradas e equalizadas, quer dizer, volta energia limpa que será aproveitada integralmente.

Quando já não existem energias densas, há harmonia. O processo de transformação no indivíduo começou.

CAPÍTULO SEXTO

A mente e o pensamento

"No corpo de energia, no encéfalo, existem seis esferas mentais. Estas formam parte das estruturas constantes, quer dizer que no processo da morte, não se desintegram com o corpo de energia, saem junto com a Alma e o Espírito, para continuar sua evolução".
É necessário, disse Arcelia, fazermos uma breve revisão sobre o conceito da mente, o processo do pensamento e os níveis mentais para poder realizar as "projeções mentais".

Localização e correspondência anatômica

A primeira esfera é o Pré-consciente, localiza-se envolvendo o cerebelo. A segunda, é o Subconsciente, está no centro do encéfalo. A terceira, é a mente Consciente, encontra-se no lóbulo frontal direito. A quarta, é o Consciente Contínuo, localiza-se no lóbulo frontal esquerdo. A quinta esfera é a mente Supra-consciente, localiza-se no lóbulo parietal esquerdo e a sexta, é a mente subliminar, localizada no lóbulo parietal direito.

Processo pensante

Durante o estado de vigília, ou seja, enquanto estamos acordados, as percepções que temos através dos sentidos são gravadas em partículas que são produzidas no citoplasma dos neurônios do cérebro. As partículas gravadas arquivam-se em forma ordenada nas fissuras cerebrais e chamam-se memórias temporais. Ao receber um novo estímulo, rastreiam-se os dados nas memórias, ordenam-se e emite-se uma resposta.

Níveis mentais

As esferas terceira, quarta, quinta e sexta, têm no seu interior três círculos chamados de películas inter-estratos. Estes círculos dividem cada esfera formando quatro espaços chamados níveis mentais: Alfa, Beta, Teta e Delta. Nestes espaços maneja-se uma longitude de onda diferente, o que permite em cada caso, pensar com uma velocidade diferente.

Nesse ponto, disse Kardiel, gostaria de fazer alguns esclarecimentos. Em termos gerais, BETA é o nível usado durante o estado de vigília ou acordado.

ALFA é um nível no qual se realiza um processo pensante mais nítido, serve para a reflexão, o raciocínio profundo e a imaginação. Neste nível podem se manejar as imagens lentamente, selecioná-las e combiná-las até atingir o resultado desejado.

O nível TETA é utilizado durante o sono em diversas atividades. De maneira inconsciente projetam-se às cargas do Subconsciente que posteriormente servem como material de análise nos processos da psicanálise.

Em forma consciente ou inconsciente, também serve para projetar dados da mente Subliminar e resolver problemas, que têm mantido nossa atenção durante algum tempo. Outra forma de usar esse nível mental é realizar deslocamentos consciente e inconsciente para a "zona fantasma".

DELTA é o nível através do qual podem se realizar uma série de atividades, usando as projeções mentais e as faculdades da Alma.

Películas inter-estratos e memórias ancestrais

Os circuitos que formam os níveis mentais se conhecem como películas inter-estratos. Nelas gravam-se os eventos mais importantes de cada vida ou lapso de vivência.

Atividade alternada

Durante o tempo que a Alma encarna na terceira dimensão, trabalha com as mentes Subconsciente, Consciente e Subliminar. (2ª. 3ª. e 6ª. esferas). Ao encarnar como Espírito, na quarta dimensão, trabalha com as mentes Pré-consciente, Consciente Contínuo e Supra-Consciente (1ª. 4ª e 5ª esferas). Através de alguns trabalhos mentais, pode-se permitir o acesso ao aprendizado em quarta dimensão.

A projeção mental

Esta, disse Arcelia, é uma das informações mais úteis e interessantes. Explica como se pode realizar um deslocamento para colocar você mesmo em outro lugar. Para compreender este processo, vamos explicar alguns dados importantes: No corpo de energia geram-se constantemente oito tipos de partículas chamadas "operadores". Estas formas microscópicas cumprem diferentes funções.

Alguns desses operadores, disse Kardiel, em especial os que funcionam como "codificadores de dados" contém uma réplica holográfica do indivíduo, quer dizer, uma imagem virtual do corpo completo com todas suas funções mentais e a capacidade de perceber através de seus sentidos. Podem ser observadores a distância e transmitir ao cérebro real toda a informação, em forma simultânea.

Claridade e veracidade da transmissão

Para fazer uma projeção mental consciente, explicou Arcelia, temos previamente que analisar vários aspectos e cumprir com certos requisitos:

1º Que o corpo não esteja realizando nenhum processo de digestão de alimentos, para que a energia flua livremente.

2º Sentar-se (de preferência num banquinho de meditação) com as costas retas e a cabeça erguida.

3º Sem curvar as costas ou inclinar a cabeça. Liberar a tensão muscular, especialmente nos ombros e pescoço.

4º Fazer algumas respirações profundas, inalando pelo nariz e exalando pela boca, para oxigenar o cérebro.

5º Eliminar da mente qualquer tipo de pensamento ou imagens mentais que interfiram no processo.

6º Definir com claridade o lugar e onde se deseja ir.

7º Concentrar a atenção no sétimo gerador (chakra), de cor violeta. Neste lugar está o controle da vontade do Eu.

8º Desde ai, se envia o operador ao lugar desejado.

9º Sem usar a imaginação, inicia-se a recepção de imagens.

Este processo, continuou dizendo Arcelia, não é difícil, com um pouco de prática, pode-se realizar com facilidade, se não esquecermos que:

a) Da precisão com a que se fixe o objetivo, e;

b) Quanto maior a claridade mental que se mantém para receber as imagens, maior será veracidade do que está se observando.

Quando mudamos abruptamente de objetivo, disse Kardiel, por exemplo, em projeção mental nos encontramos a beira de um rio e nesse momento pensamos mudar de localização e nos colocamos no centro da cidade, esse processo precisa do envio de outro operador, já que aquele que chegou a um lugar não pode desde ai, deslocar-se a outro lugar diferente.

Se não se leva em conta este procedimento, a mente começa a "imaginar" e a partir desse momento, tudo o que chega à tela mental não é uma visão a distância e sim uma composição de dados e imagens que tínhamos nos arquivos das memórias.

Viajar ao microcosmo

A projeção mental, continuou dizendo Kardiel, é uma faculdade que precisa de uma mente disciplinada. Em troca desse esforço, inicialmente podemos alcançar um conhecimento profundo da natureza. Para começar o desenvolvimento e controle dessa faculdade, deve-se programar viagens ao interior de uma planta, uma flor, um animal, um rio, ou oceano..., sempre e quando se compreendam quais são os alcances e as limitações de um operador.

Este é outro exemplo: se vamos observar uma flor, o operador chegará a certa distância da flor e transmitirá tudo o que está observando, desde fora da flor. Se nesses momentos pensamos em estar dentro de uma flor e sentir sua vibração, nosso pensamento cancelará a percepção real e começará a imaginar tudo o que se sabe de uma flor.

Nesses trabalhos, continua-se viajando ao interior de uma rocha ou de uma pedra preciosa e observar sua estrutura a níveis microscópicos ou quânticos. O eu vontade ordena e o operador se desloca e transmite o que vê, o que escuta ou o que percebe.

Se desejamos, disse Arcelia, dar passos seguros e avançar gradualmente, não se deve tentar as projeções ao cosmos, nem outras dimensões, ou realizar curas a distância.

Tudo isso poderá realizar-se "sem imaginar" o que estamos conseguindo, se em troca disso estamos dispostos a dar um passo de cada vez, e não tratar de obter resultados imediatos, sem conhecer qual é o procedimento em cada caso.

Avaliação dos estados emocionais

Estamos assumindo, disse Kardiel, que as rotinas de exercícios físicos e o trabalho com as esferas já formam parte dos hábitos diários, isso garantirá que passemos do nível da imaginação para verdadeira projeção mental. Em caso afirmativo, disse Arcelia, o momento ideal é ao terminar as rotinas de exercícios físicos que se praticam diariamente e que devem demorar de 30 a 45 minutos. Depois do Tai Chí, uma vez que sentimos todas as correntes energéticas fluindo livremente, se inicia a primeira prática mental. Se neste horário não é possível, pode-se praticar a noite ou muito cedo pela manhã, no seu banquinho de meditação, sem tensão muscular ou emocional.

Nas seguintes práticas se trabalha com os geradores. Por causa da força que eles têm, não devem realizar-se diariamente. Somente um deles por vez, e unicamente a cada quatro dias.

O Kung Fú

Esta informação, disse Kardiel, é uma parte do princípio esotérico do Kung Fú (consciência plena). A princípio, este conhecimento se utiliza para conhecer a harmonia ou desarmonia que existe em nossos geradores, tomando como parâmetros alguns elementos da natureza.

Vou explicar este conceito mais amplamente: Na diversidade de espécies do reino animal, cada um deles mantêm uma freqüência vibratória específica. A vibração de um determinado animal coincide, numa oitava mais baixa, com a que produz um gerador do corpo humano.

Por exemplo, a vibração de uma cobra coincide com a do primeiro gerador. A do tigre é semelhante a do segundo gerador. A vibração do leão coincidi com a do terceiro gerador. A tarântula nos permite conhecer o estado do nosso quarto gerador. A vibração de um formigueiro ou uma colméia é semelhante a do quinto gerador. Antes de falar dos geradores superiores, eu proponho fazermos uma prática.

A cobra real

Neste momento, disse Arcelia, vamos conhecer o nível de equilíbrio que guarda o primeiro gerador. O procedimento é o seguinte: nos sentamos num banquinho de meditação, liberamos o corpo de tensões musculares, emocionais e mentais.

Vamos localizar uma cobra real. Não tentemos de imaginá-la. Projetaremos um operador, deslocando-o em vôo pela Índia, onde com certeza encontraremos uma cobra. Uma vez que a tenhamos localizado na tela mental, projetaremos outro operador no tamanho natural e nos colocaremos sentados à frente da cobra.

O animal pode ver e sentir a presença do operador, e embora já não exista o inimigo interior, se não há harmonia na sexualidade ou não há amor, a cobra o detecta, se altera e pode atacar ao operador.

O instinto nos fará reagir com medo ou rejeição, ainda quando saibamos que no corpo virtual do operador, qualquer ataque é irreal, nada pode danificar-nos e não estamos em perigo.

A cobra simplesmente é um elemento muito real que nos serve como parâmetro para medir com exatidão o estado do primeiro gerador. Quando há harmonia no primeiro chakra, o animal não se altera e nós não sentimos medo ou repulsa.

Isto indica que o chí flui livremente entre ambos, a vibração é harmônica e se forma a unidade. Nesse estado, a energia vermelha do primeiro gerador, com a que se manifesta a sexualidade, começa a mudar de tom até chegar a uma cor rosa intensa.

A chama rosa

Essa é a vibração do amor, disse Kardiel, se deixamos que essa corrente possa tomar conta de todo o organismo, nos converteremos numa "chama rosa" cuja força penetra todas as estruturas celulares, já não no "operador", senão em nosso corpo real.

O gerador beneficia-se, qualquer alteração que possa ter, por pequena que for começa a corrigir-se, até ficar com uma estrutura perfeita. Quando desejamos terminar essa prática, simplesmente inala-se profundamente, para passar do nível Alfa profundo ao Alfa superficial. O operador já não importa uma vez que já completou sua função, é uma energia que se desintegra no ambiente.

A projeção mental, continuou explicando Kardiel, é uma prática muito útil, embora NÂO devem realizar-se exercícios ao mesmo dia. Em especial, este tipo de prática onde se maneja correntes de grande força, como indicou Arcelia, somente podem ser feitas uma vez a cada quatro dias.

O tigre e o leão

Através dessas práticas, comentou Arcelia, se consegue não só o equilíbrio dos geradores, senão a correção de qualquer alteração que se possa ter em suas estruturas. Para trabalhar com o segundo gerador se busca o tigre. Através dele, se conhecem os níveis de emotividade.

Ao conseguir que o chí flua entre ambos, a energia verde fosco vai mudando, se faz mais brilhante, até conseguir o tom e brilho das esmeraldas. Com estas correntes, no corpo real, forma-se a "chama verde" com a qual a emotividade converte-se em sensibilidade.

Esta energia também estimula as correntes do sistema linfático, ativa as defesas do organismo e mantêm o estado de saúde. O leão, falou Kardiel, nos permite conhecer o estado de equilíbrio do terceiro gerador, o qual é encarregado de produzir as energias com as que se expressam o temperamento e o caráter.

Estas correntes são de cor âmbar, embora, quando flui o chí entre o leão e o indivíduo, começa a tomar tons dourados. Ao formar-se a "chama dourada", se inicia um processo muito interessante: nesse estado dá-se o começo ou despertar do Ki ou força interior, mediante a qual se estabelece a conexão com o Ser e se tem permissão para conectar os recintos da Alma.

Ao terminar de falar dos geradores, começaremos a descrição do Ki.

A tarântula e a colméia

A tarântula, disse Arcelia, é o parâmetro para medir a confiança em você mesmo, em ausência de medos e temores. É o equilíbrio do quarto chakra. A harmonia neste gerador existe quando você é capaz de observar seus movimentos e comportamento, tentando compreender a razão da existência neste planeta e o papel que desenvolve dentro do ecossistema.

Nessas condições o chí ou energia vital, flui entre ambos e se forma a unidade.
A energia branca grisalha das emoções de medos e temores vai se transformando na "chama branca" brilhante que, ao invadir todo o organismo proporciona um estado de consciência no qual se sente plenamente a paz interior.

Por outro lado, disse Kardiel, o quinto chakra se avalia no interior de uma colméia.
Neste caso a projeção mental se reduz de tamanho e o holograma que se desloca é do tamanho de uma abelha.

Aqui comparas a ordem e a disciplina dos animais com tua produtividade. A observação de todos os membros da colméia permite que teu chí flua livremente. Tua presença forma parte da colméia e longe de impedir seu trabalho, permite a você passar desapercebido entre elas.

O azul fosco da energia das ambições, gradualmente se converte no azul brilhante da produtividade. Com esta energia, forma-se em teu corpo real, uma "chama azul" brilhante que inunda todo teu organismo. E assim pode entrar em estados de certeza, clareza mental e verdade.

O dragão das sete cabeças

Por último, disse Kardiel, vamos ver a forma de avaliar os dois geradores superiores.
O equilíbrio do sexto chakra reflete a claridade do intelecto. Neste caso, faremos um exercício de psicodinâmica.

Nosso parâmetro será uma imagem formada por um dragão de sete cabeças, que sai de nosso próprio subconsciente. Quando inicia este trabalho, falou Arcelia, se coloque frente ao corpo de um dragão imaginário, do qual saem sete cabeças.

A cabeça principal é a tua, indicando o controle que você tem sobre sua inteligência. As outras seis correspondem á cobra, o tigre, a tarântula, a abelha rainha e o dragão. Estas representam as influências que exercem os diferentes tipos de emoções, sobre teu intelecto.

Sua presença se manifesta como instabilidade ou indecisão em momentos importantes de tua vida, nos que a claridade se ofusca porque te invadem as emoções. Se uma das cabeças do dragão é maior que as outras, indica qual das emoções pode controlar tua mente.

Ao enfrentar o dragão, explicou Kardiel, se analisa com detalhe a atitude das cabeças.
Se estão tranqüilas ou são dominantes e agressivas. Esta forma de psicodinâmica ajuda a ter um conhecimento mais profundo de quais emoções domina o intelecto.

Além de observar, começas a deixar que o chí flua através de teu corpo, até que o corpo do dragão e cada uma de suas cabeças, se conectem com teu chí. Conforme isto acontece, o chí flui e a agressividade das cabeças vai perdendo força.

Pouco a pouco vão se reabsorvendo, até ficar somente tua própria cabeça. Ao final, o corpo do dragão se transforma em teu próprio corpo. Você está sentado frente a você mesmo. Isto te indica que tuas emoções são controladas pela inteligência, sem que nenhuma delas interfira em tuas decisões.

O sexto gerador produz uma energia alaranjada, quando essa corrente vira brilhante, se forma uma "chama alaranjada" que invade todo teu organismo. O sexto chakra está em equilíbrio.

A transparência

Agora, disse Arcelia, vamos comentar um trabalho muito importante. O aprendizado de avaliar a harmonia do sétimo chakra pode equilibrar o lugar de controle da vontade do Eu.

Mais ainda, pode diluir teu ego ou personalidade para dar um passo a frente, que te prepara para ver o rosto de teu Ser. Ao realizar este trabalho, começarás a focalizar tua visão ao interior de você mesmo. Através do trabalho interior poderás ver e sentir todo teu corpo completamente transparente.

Na medida em que alcances a transparência de teu corpo, desaparece qualquer tipo de moléstia física. Bem, esquece tuas emoções, neste momento não existem. Inicia o trabalho da transparência de tua mente, até te liberar de todo tipo de pensamentos. Neste estado teu ego ou personalidade se dilui, sem que interfira em teu trabalho interior.

Quando você se sente transparente, sem pensamentos, sem emoções, sem moléstias em teu corpo, quer dizer, quando consegues entrar no estado de transparência total, a energia violeta do sétimo gerador começa a invadir teu corpo. Forma-se a "chama violeta" da transmutação. Entra no nível mais alto de espiritualidade.

Assim, te encontras sentado perante teu Ser. Sua Divina Presença está contigo. Sente. É Amor, infinito Amor.

É o Alfa e o Omega em tua evolução, o Princípio e o Fim de todas tuas realidades.

O Tao de Diamantes

Uma vez que foram trabalhados os sete geradores, explicou Arcelia, nos preparamos para formar o Tao de Diamantes. Os cinco geradores inferiores se organizam numa linha vertical. Os dois superiores se ordenam numa linha horizontal. O Tao, como uma letra T, se forma com as duas linhas.

Os diamantes significam que os setes geradores estão transparentes, brilhando como diamantes, numa ausência total de emoções, em estado de equilíbrio perfeito. "O Ki ou força interior, acorda no Tao de Diamantes". A energia da "chama dourada" flui por todo o corpo. Neste estado, se estabelece o contato com a Alma.

No centro de tua cabeça, descobres a Alma formada por sete cubos de plasma radial. É tua Essência Divina, a parte que teu Ser encarna em teu corpo, para levar a um fato real, a evolução.

Ao estabelecer-se o contato, a Alma irradia sua Luz Divina por todo teu corpo, num momento de infinita felicidade.

O estado de transparência, disse Kardiel, a formação do Tao de Diamantes e o despertar do Ki ou força interior, são os requisitos básicos, indispensáveis para se ter permissão aos Recintos da Alma. Para chegar com facilidade nestes estados, explicou Arcelia, é importante manter-se dentro do Programa Vida que se descreve no Nono Capítulo.

Aí é mais ampla a informação sobre as rotinas de exercícios, a aplicação das esferas, a alimentação e as práticas de projeção mental que temos mencionado. O objetivo do Programa de Vida, é que os corpos: físico, sutil, energético, emocional e mental estejam alinhados corretamente, para facilitar a formação do Tao de Diamantes e assim poder continuar com o desenvolvimento das "faculdades superiores".

CAPÍTULO SÉTIMO

A parte divina do Ser Humano

Isto, disse Kardiel, é a informação de maior transcendência para os Seres Humanos, o caminho da evolução na melhor das hipóteses, tem tido como ponto de apoio o fundamento da Fé em Deus, para ultrapassar todas as dificuldades. O corpo biológico, com sua mente e seus sentimentos formam a parte humana, a Presença do Ser com a Alma, são a parte Divina. Tudo isso forma o Ser Humano. O Ser é quem encarna sua Alma (faísca Divina) no corpo humano, para formar a Unidade evolutiva.

Quando uma pessoa, disse Arcelia, descobre a seu Ser, a vida, os sofrimentos, o presente e o futuro tomam uma perspectiva diferente. Constata-se que essa presença divina tem lhe acompanhado desde sempre e assim continuará por sempre. Sabe que não está sozinho nem jamais esteve. Isto preenche de alegria seu coração.

Nesta nova etapa da evolução, quando qualquer ser humano pode ver o seu Ser, sentir Sua Presença e ouvir Suas Palavras, se cumpre o objetivo de qualquer religião - do latim reli gare, ou seja, religar, reunir, restabelecer a comunicação entre a parte humana e a parte Divina.

Ao ouvir Kardiel, lembrei dos anos de práticas constantes que tiveram que passar para que eu pudesse falar com meu Ser. Nestes tempos tudo se simplifica. É maravilhoso saber que hoje qualquer pessoa com o simples fato de disciplinar-se ao Programa de Vida poderá consegui-lo em menos de um ano.

O Ser, continuou explicando Arcelia, se manifesta como uma Presença feminina ou masculina, o mais importante é compreender que sempre tem estado em você. Que é parte integrante de você, que desde sempre, a parte Divina e a parte humana tem formado uma Unidade. Sem importar se você acreditou ou não, se você aceitou ou não, essa Presença tem emanado constantemente Seu Amor para ti. Do centro de Seu Coração tem brotado em forma incessante Sua Luz, envolvendo com infinita ternura a parte humana que trabalha em evolução.

O contato com o Ser

Para as pessoas, disse Kardiel, que em diferentes formas dedicam sua vida ao serviço de seus semelhantes, a forma mais simples para iniciar um contato direto com o Ser tem sido através da oração. Nesses casos não há regras, não necessitam fazer esforço nenhum, a parte humana pede e Ele ou Ela responde. Sua Divina Presença pode adotar a figura de um Anjo Guardião, de uma Virgem ou de qualquer imagem que de acordo as crenças da pessoa representem um Ser Superior. Isto assim acontece, até que a mente humana possa aceitar Sua verdadeira Imagem.

Outro caso muito freqüente, disse Arcelia, é a das crianças que desde o berço, brincam e se divertem com seu amiguinho. Conforme crescem, pensam que o contato não é senão o produto de sua imaginação. A comunicação foi interrompida.

Para a maioria dos adultos, explicou Kardiel, o caminho não é tão simples, embora possa ser realizado com relativa facilidade se considerarmos que o ponto de partida para estabelecer um contato direto e permanente com nosso Ser seja estar em harmonia de emoções e transparência de pensamentos.

A Alma é a Essência Divina encarnada na parte humana. É o ponto de contato através do qual podemos conhecer o nosso Ser e falar com Ele. A formação do Tao de Diamantes, é um grande passo para abrir o caminho aos Recintos da Alma.

A Alma e os sete Recintos

Agora, disse Arcelia, falaremos da forma e estruturas que tem a Alma ou faísca Divina. É uma partícula de plasma radial (é o estado sólido da energia). Sua forma é heptocúbica quer dizer, está formada por sete cubos. Ao centro temos um primeiro cubo e aderidos a cada uma de suas seis caras, encontram-se os outros seis cubos.

A cor dos cubos

O cubo central é violeta. Na frente está o cubo branco, atrás, esta o verde. À direita, o cubo amarelo e a esquerda, o alaranjado. Na parte superior encontra-se o cubo vermelho e na parte inferir, está o azul. Cada um dos cubos é um Recinto que podemos adentrar, através de uma projeção mental. No estado de harmonia emocional e transparência mental, ao projetar um operador aos Recintos Sagrados, temos acessibilidade às faculdades da Alma que é a capacidade de realizar trabalhos mentais e espirituais, com o apoio da energia Divina.

Mediante essas práticas se desenvolve a faculdade de olhar sem que participe a imaginação, e ouvir através do ouvido médio, o que está falando teu próprio Ser ou algum Mestre.

É necessário dar para poder receber

Nestes trabalhos, disse Kardiel, é importante ter em mente que, na medida em que você dá terá o direito a receber, é o primeiro e o segundo dos trabalhos que faremos e que serão destinados ao serviço de nossos semelhantes.

No primeiro trabalho levaremos a vibração do Amor Divino a qualquer pessoa conhecida ou desconhecida que saibamos que está passando por uma etapa dolorosa. Projetamos um operador ao recinto vermelho. Sentamos-nos no seu interior até sentir e transmitir para nosso corpo real, a vibração do Amor divino.

Em completa transparência, a vibração de Seu Amor nos invade. Ao sentir com claridade esta vibração, projetamos outro operador até estar em contato com a pessoa que saibamos que passa por momentos de sofrimento.

Ao estar frente a ela, abraçá-la-emos e sem dizer palavras, transferiremos para seu corpo, a vibração do Amor Divino do qual estamos impregnados nesses momentos. Se estiver receptiva, a mudança na sua aura e na expressão de seu rosto nos permitirá compreender que esta Vibração levou-lhe benefício.

Na seguinte prática, falou Arcelia, também em estado de transparência, projetamos um operador ao Recinto verde. Aí sentiremos a Força Divina da Saúde, a qual é capaz de harmonizar um corpo doente num instante.

Quando sentimos em nosso corpo real esta vibração, projetaremos outro operador até a cama do doente. Ao estar junto dele e sem falar, lhe transferimos a vibração da divina Saúde, nos oferecendo como transmissores de uma Vibração Superior. A Vontade de Seu Ser, decidirá o nível de beneficio que pode receber sua parte humana.

Agora, disse Kardiel, talvez você se pergunte: Quantas vezes deverão realizar estes serviços? Isso depende do que teu coração fale e do tempo que deseje dedicar a ajudar aos que sofrem. Uma vez que tivermos cumprido com nossos irmãos, poderemos adentrar aos outros Recintos para trabalhar em nosso próprio benefício.

Os Recintos do estudo

No Recinto azul, disse Arcelia, está a vibração da Divina Claridade Mental. Os enganos e a confusão que existem na mente desaparecem, permitindo a entrada da Luz da Verdade.

No Recinto Amarelo, o Ki ou força interior se intensifica com a vibração dourada da Força Divina que, ao transmitir-se ao corpo real, lhe fornece a força interior de que necessita para sair à frente de todos os problemas e assim completar em condições mais favoráveis esta etapa evolutiva. Esta prática é muito importante. É indispensável tomar em consideração, para quando chegar o momento no qual se fale de descompactar o corpo átmico.

No Recinto Alaranjado, falou Kardiel, pode-se estabelecer o contato com a quarta dimensão do Terceiro Plano. A vibração da Divina Sabedoria se transmite ao nosso corpo para projetar outro operador à quarta dimensão, que nos permita entrar em contato com um mundo aonde a ciência e a tecnologia têm alcançado um avanço considerável.

Ao deslocar-se para a quarta dimensão, disse Arcelia, se chega a um mundo mais adiantado. Tudo o que aqui se conhece, lá é diferente. É muito importante contar com um Guia que possa explicar o que está se observando.

Nos Anjos, podemos ter esse guia. O estudante desde o Recinto Alaranjado, pode solicitar para seu Ser, a presença de um Guia ou um Mestre. Lembra, falou Kardiel, que para falar com teu Ser não é necessário fazer nenhum esforço. Sempre que você lhe fala Ele ou Ela te ouve, embora você ainda não possa vê-lo ou ouvi-lo. Se teu Ser o aceita e, neste tipo de trabalho acontece quase sempre, o Anjo se apresenta.

Os Anjos Guias

Devo esclarecer, disse Kardiel, que uma das funções que desenvolvemos utilizando uma projeção mental é a de guiar os estudantes que desejam viajar à quarta dimensão. Neste caso não necessitamos estar em constante comunicação com nosso operador, este é uma réplica fiel de nós. Seus ensinamentos e comentários serão feitos como se nós mesmos, em pessoa, o estivéssemos fazendo. Isto permite que nosso corpo real se dedique a outras atividades, ao mesmo tempo em que um ou vários operadores conversam e orientam aos estudantes.

Em algumas ocasiões assim trabalhamos com Marla, podemos estar em contato em qualquer momento que ela tenha disponível, simplesmente ela nos fala e nós nos apresentamos de imediato.

Uma experiência inesquecível

Para falar do Recinto Branco, disse Arcelia, desejo compartilhar com vocês minha própria experiência. A claridade da Luz Divina que abre a consciência do humano me permitiu ver e falar com meu Ser. Nesses instantes compreendi a profundeza das palavras seja feita a Tua Vontade e não a minha. E cheia de alegria depositei em Suas Mãos meu livre arbítrio, para colocar-me desde esse momento com toda humildade a Seus Sagrados Desígnios. Assim estabeleci pela primeira vez o contato com meu Ser. A partir desse maravilhoso momento, Seu Amor e Suas Palavras tem sido meu guia.

Antes de concluir este tema, vou lhes dizer que do Recinto Violeta, não falaremos neste momento, o deixaremos para mais adiante, ao explicar a forma de iniciar o processo de descompactação do corpo átmico do humano.

O Espaço causal

Agora, disse Kardiel, falaremos dos princípios da Grande Lei de Causa e Efeito, conhecida também como Lei do Karma-Dharma, que rege a evolução de Almas e Espíritos em todos os Planos.

Todo pensamento, palavra ou ação que produz um indivíduo, gera uma carga que permanece no espaço causal. Essa carga é uma causa, a qual atrai do interior ou do exterior do espaço causal outra carga em imagem de espelho, quer dizer: idêntica, inversa e complementar da primeira. Esta segunda carga é um efeito. Ao unirem-se, gera-se a partícula evolutiva.

O campo eletromagnético do Ser, continuou explicando Kardiel, é formado com a projeção das formas heptocúbicas das Essências, é um espaço/tempo convergente.

Recompensas e punições

Esta infra-estrutura, falou Arcelia, é eterna. Está formada por uma serie de grandes cubos que contém em seu interior a parte humana e a parte Divina. É o espaço causal no qual se plasmam as energias de todo pensamento, palavra ou ação que realiza a parte humana em seu processo evolutivo. Sem importar se os pensamentos, as palavras ou os atos são de beneficio ou prejuízo para o indivíduo ou para alguém mais, as conseqüências para quem as gerou são inalteráveis.

Ao compreender este conceito, disse Kardiel, percebemos que ninguém nos premia nem nos pune. Somos os únicos e diretamente responsáveis de tudo quanto nos acontece, o bom, o mau, o positivo e o negativo, o maravilhoso e o doloroso. A Presença Divina Vigia, Protege e lhe envia Sua emanação incessante de Amor para a parte humana. O Ser pode, se assim o desejar, alterar o tempo ou as circunstâncias para que os efeitos se plasmem em um momento diferente, mas não os evita, já que a Grande Lei de Causa e Efeito é a base para que a evolução seja efetivada, pelo que nada nem ninguém a altera.

Causas e Efeitos

Absolutamente todas as cargas geradas pela parte humana, explicou Kardiel, se convertem em causas, as quais atraem outras cargas ressonantes chamadas efeitos. As causas nobres, bem intencionadas, geradas em amor e serviço, atraem efeitos benéficos para o indivíduo. Pelo contrario, se as causas são negativas, destrutivas ou danosas para si mesmo ou para outro, atraem efeitos que, necessariamente serão dolorosos.

Ao formarem um conjunto de causas e efeitos, formam-se partículas evolutivas, em base as quais se consolidam as estruturas da Alma e do Espírito. Ao desencarnar, se o espaço causal está livre de cargas, se passa a seguinte fase evolutiva. Se não está, a Alma e o Espírito deverão encarnar nas condições que lhe sejam mais favoráveis para a complementação de tais cargas.

Injustiças do destino

Este conhecimento, disse Arcelia, nos permite compreender as aparentes - injustiças - do destino. Porque alguns nascem com direito ao luxo exagerado e outros, em meio de uma pobreza extrema? A que se deve o trabalho e a disciplina de alguns que não tenham os resultados esperados e que outros, no entanto, sem esforço vivem na abundancia? Por que é manifestada em uns a capacidade física e mental, e por outro lado que outros desrespeitam sua vida e desperdiçam suas potencialidades?

Estes e outros milhares de questionamentos são feitos pelos seres humanos pensando no melhor dos casos, que na Mente de Deus somente Ele sabe porque acontecem assim as coisas. Se usarmos o raciocínio com atenção para esta informação, seremos mais conscientes e responsáveis de todo o que pensamos, falamos e fazemos.

As cargas de omissão

Também, falou Kardiel, é muito importante considerar como nos atinge o que podemos fazer e não fazemos. Esta parte da Lei é estudada como os eventos de omissão. Se não vê ou ouve o sofrimento de um funcionário, um vizinho ou um familiar, não tentará remediá-lo.

Este fechar os olhos e ouvidos perante a dor alheia é uma causa ou carga de omissão.
De que maneira nos atinge?

Quando são geradas cargas positivas, disse Kardiel, com efeitos que podem manifestar-se em benefício da saúde, da economia, condições de trabalho e relações familiares, estes efeitos não se manifestam porque as causas de omissão, plasmadas no espaço causal o impedem. As causas de omissão são lixos que atrapalham o processo. Não são faltas cometidas em contra de alguém, são falhas no estado de consciência que interferem, evitando que sejam recebidos todos os benefícios inerentes aos bons pensamentos, palavras e ações realizadas.

Dar sem medida

Numa ocasião, comentou Arcelia, ouvi que alguém dizia: não devo ajudar essa pessoa porque se o faço, estou interferindo com seu Karma. Esta forma de pensar é errada e nos leva a gerar cargas de omissão involuntárias, pelo desconhecimento que se tem da Grande Lei de Causa e Efeito. A conversão das causas e efeitos em partículas evolutivas se realiza de acordo a leis físicas que regem o Universo, funcionam em forma direta e sem a intervenção de ninguém.

Dar em amor, dar sem medida, dar quanto puder, a tudo aquele que o precisar, é a Fórmula Mágica que abre o estado de consciência e as oportunidades para poder Receber.

Na medida em que integramos este conceito, falou Arcelia, poderemos compreender o sofrimento, não para julgar a quem sofre, senão para brindar em amor todo o apoio físico, mental ou espiritual que pudermos dar, a fim de que terminem as etapas de dor com o menor sofrimento possível.

CAPÍTULO OITAVO

"Qualquer tipo de contato físico, mental ou dimensional, deve ser autorizado pelo Ser de cada indivíduo. O espaço causal não pode ser atravessado por nada nem por ninguém, se os Seres não autorizam que chegue até o humano. Ao buscar conhecimentos, com a intenção de saber para compartilhar e ajudar, a Proteção do Ser é inviolável"

Os nomes e os conceitos

Kardiel começou este tema, fazendo um esclarecimento: Por que usamos os termos de Anjos, Arcanjos, Serafins, Luces ou Avatares? Para nos referir aos moradores do Quarto Plano, quando em outros grupos são chamados pelos seus graus.

A razão é que a etimologia destes termos corresponde pontualmente ao nível evolutivo e as funções que realizam os integrantes da Hierarquia de Supra-humanos. Durante muitos séculos nos diferentes grupos de estudo, foram usados esses mesmos nomes. Entretanto, os conceitos que se expressaram sobre a aparência, forma de vida e atuação dos moradores do Quarto Plano estiveram adaptados ao nível de compreensão que podiam manejar nesses momentos os habitantes do Planeta Terra.

Lembremos que sua etapa evolutiva é binária. A mente humana funciona em base ao raciocínio mais simples, se elege como válida uma resposta entre falso ou verdadeiro.

A informação que se proporcionou anteriormente foi simples. Explicaram-se que as funções básicas da Hierarquia era como colaboradores de Deus, mas naquele momento esta explicação referia-se a um ambiente puramente energético.

Não foi esclarecido que no Quarto Plano temos corpos biológicos mais sutis que os que têm os Seres humanos, mas com a necessidade de alimentá-los, trajá-los, albergá-los e transportá-los; e o mais importante, que o Amor e a relação de casal existe e permanece por toda a eternidade.

Em tempos passados, uma explicação mais ampla sobre as diferentes formas de vida dos supra-humanos teria precisado usar uma linguagem mais ampla, além do manejo de outros conceitos que nos momentos atuais, quando o humano pode manejar sua mente analógica, nos permite ser mais explícitos no tema.

A chegada ao Quarto Plano

Para ter uma melhor visão, disse Arcelia, do que significam os avanços na forma de viver em cada dimensão ou em cada plano, começaremos por falar de nossa própria forma de viver, de pensar e de atuar, o que nos permitirá apresentar-lhes com claridade, uma realidade diferente. Ao chegar neste mundo, disse Kardiel, encarnamos num corpo humano mais sutil. A forma de vida e a alimentação favorecem ao trabalho para harmonizar nossos sete corpos.

Quando temos alcançado o estado ku Mara, se descompacta o corpo átmico, o qual se integrará gradualmente ao corpo de energia até lograr, ao longo de todas as etapas deste Plano, que sua forma e função sejam completadas.

A sétima esfera mental do corpo átmico, disse Arcelia, permanece sem atividade, até alcançar o nível ou grau de Arcanjo, enquanto isto não acontece, funcionamos com as esferas mentais.

As diferentes etapas evolutivas

Neste Plano, disse Arcelia, começamos no nível de Ku Maras, até alcançar o grau de Anjos. Na seguinte etapa se alcança o grau de Arcanjo, daí se continua no nível de Serafim para finalmente, alcançar o grau de Luz ou Avatar. Em todo este processo a evolução é com corpos humanos cada vez mais sutis.

"Almas e Espíritos buscam os eventos e experiências que nos permitam consolidar nosso próprio corpo átmico de eternidade".

Assim, com o corpo átmico já funcionando, sem necessidade de uma entidade biológica, passaremos ao Quinto Plano como Engenheiros do Cosmos.

Como nós vivemos?

Agora, disse Kardiel, lhes vou descrever alguns aspectos de nossa forma de vida. Para iniciar o tema lhes direi que em todo o Planeta existe somente uma Cidade com 40.000 habitantes.

Aí moram e trabalham os representantes das doze raças, os quais são eleitos de acordo com seus conhecimentos para formar o Conselho de Regentes. Trabalham duas horas por dia. Suas funções duram dois anos e são substituídos por outros representantes.

O Conselho de Regentes, disse Arcelia, é o organismo que se encarrega de coordenar os labores de todos os habitantes. Dirigem desde o controle e vigilância dos climas até as diferentes atividades comunitárias que desenvolvemos no Planeta. Eles também coordenam todas as missões de ajuda a outros mundos.

Distribuição da população

Sobre o resto da população, disse Kardiel, vivemos em nossas casas, as quais estão organizadas em grupos de 100 e 150, e distribuídas ao longo de todas as zonas dos trópicos. Em cada grupo existem áreas comuns de lazer, de convivência e oficinas destinadas a elaboração de produtos artesanais.

Neste mundo, falou Arcelia, cada família fabrica desde o vasilhame, até a mobília e os panos de decoração de que precise em seu lar.

As roupas são elaboradas a base de substâncias naturais que se processam dentro do lar. São manipuladas em forma de "pintura de ar". Se aplicam sobre uma mesa ou diretamente ao corpo, dando-lhe a forma desejada. Ao secar, ficam com a textura, cor e folga que se programou previamente. Estes materiais são recicláveis. Ao final do dia, a máquina volta a processá-los para um novo vestuário, incluindo os calçados.

O lar

As casas, disse Kardiel, estão integradas em grandes espaços com bosques, rios e lagos. Existe uma grande variedade de animais que compartilham conosco os mesmos espaços, mas suas áreas são delimitadas através de equipamentos ultrasônicos. Desenham-se verdadeiros labirintos, nos quais as áreas destinadas para o reino animal não coincidem com os espaços aos que temos livre acesso.

Inclusive nos rios, lagos e mares, podemos curtir da natação e exploração submarina, sem molestar ou interferir na vida dos animais que aí habitam. Cada lar tem grandes jardins. Em seu interior há uma sala onde podemos projetar com imagens tridimensionais, obras de teatro, recitais, concertos, assim como todas as exposições de obras de arte que são produzidas em todo o Planeta.

Além dos dormitórios e os banheiros, temos áreas destinadas ao estudo, desde onde mantemos comunicação com imagem e som com qualquer pessoa ou lugar do Planeta. Nas coberturas estão os veículos que usamos para o deslocamento local (dentro do Planeta).

A alimentação

Outras áreas importantes, disse Arcelia, são a sala de jantar, a área de cultivo e a de preparação dos alimentos. Nossa alimentação é a base de frutas, cereais, oleaginosas, leguminosas, alguns vegetais e água. Os vegetais são cultivados numa pequena horta ao ar livre. De algumas delas, podemos coletar os "frutos" que produzem. Os que são só folhas, talos e raízes, temos que aguardar terminar o ciclo vital, quer dizer, que morram para poder aproveitar as vitaminas e minerais e outras substâncias importantes para nosso organismo. Na terra não são plantados cereais nem árvores frutíferas.

As sementes

Arcelia continuou explicando: Todas as sementes são pequenas, de germinação e crescimentos rápidos, demoram de uma a seis horas para estarem prontas. Incluindo os cereais, as frutas, leguminosas e oleaginosas, são cultivadas no interior do lar, numa área de dois a quatro metros quadrados, numa espécie de "área hidropônica", controlada através de um equipamento especial, o clima, umidade, luz, assim como os nutrientes requeridos por cada espécie.

Quando termina o processo de germinação e crescimento, o primeiro que fazemos é separar uma nova semente e guardá-la para substituir a anterior. Uma vez feito isto, se aproveita o resto do produto e se cozinha ou se aproveita diretamente para preparar os alimentos que são consumidos crus.

A nave lar

Arcelia continuou explicando: Para deslocar-se para qualquer outro mundo em viagens de estudo, passeio ou alguma outra missão especial, cada casal conta com uma "nave lar".

A nave tem um espaço muito menor do que a nossa casa, embora conta com todos os elementos básicos que foi descrito, o que nos permite viver nela por períodos de tempo prolongados.

Outros mundos, outros personagens

Antes de contar-lhes como viajamos, disse Kardiel, e porque o fazemos, precisamos mencionar: "Que a multiplicidade de mundos habitados é infinita e que a vida tem muito mais formas de expressão do que podemos imaginar".

Estes dois conceitos nos permitem descrever com muita claridade, as viagens que fazemos ao vosso mundo, assim como o motivo das missões. Ao mesmo tempo teremos a oportunidade de lhes fazer algumas advertências muito importantes.

Arcelia pensou e disse: Sem aprofundar-se agora nestes conceitos, o qual nos levaria a escrever pelo menos outro livro, acredito que é muito importante informar que a linha de evolução que temos descrito neste livro, é só uma das tantas que existem no Universo.

As outras Células Cósmicas

Quando dizemos que somos feitos "a imagem e semelhança do criador", nos referimos que a imagem antropomorfa que temos, é semelhante a das impressões das figuras masculina e feminina que existem no tipo de Célula Cósmica da qual provém a raça humana.

Nem todos os Seres que habitam no Cosmos, disse Kardiel, são humanos. Os Germes de Vida em cada tipo de Célula Cósmica, geram diferentes entidades com distinta morfologia.

Sua evolução não segue as mesmas regras, nem a mesma forma que temos descrito aqui. E é claro, suas formas de viver, de pensar e de atuar, são diferentes. Somente os Supra-humanos, tem autorização para ajudar aos humanos. Para evitar que se pense que qualquer nave que se apresente em vosso céu vem em missão de ajuda, o que necessitamos informar pelo momento, é que há outros mundos com outros personagens, que manipulam diferentes tecnologias e diferentes interesses.

A Proteção

O simples fato de ver uma nave, disse Kardiel, não permite ao humano saber o que ou de quem se trata, nem quais são as intenções do visitante. "Qualquer tipo de contato físico, mental ou dimensional, deve ser autorizado pelo Ser de cada indivíduo. O espaço causal não pode ser atravessado por nada nem por ninguém, se os Seres não autorizam que chegue até o humano. Ao buscar conhecimentos, com a intenção de saber para compartilhar e ajudar, a Proteção do Ser é inviolável".

Se o humano, disse Kardiel, tem "cargas pendentes em seu espaço causal, pode atrair um grande número de entidades dimensionais que se dedicam a brincar e confundir o indivíduo com informação distorcida".

Para evitar, disse Arcelia, experiências desagradáveis, em qualquer tipo de contato sendo físico, mental ou dimensional, é imprescindível contar com a autorização da Divina Presença do Ser.


A cidade nave no Planeta Vênus

Embora, disse Arcelia, caiba mencionar que todas as entidades que provém das diferentes Células Cósmicas, estão representadas na Confederação Intergaláctica. A sede para este Sistema Solar se localiza numa cidade perto do Planeta Vênus. Mede perto de mil quilômetros de diâmetro e nela moram e trabalham 144 mil representantes. Neste lugar são coordenadas as atividades dos diferentes grupos e são decididas as estratégias que permitam que cada um viva e trabalhe em Harmonia, sem interferir uns com os outros.

Os visitantes mais freqüentes

Como já mencionado, disse Kardiel, por causa do avanço tecnológico que tem desenvolvido os Espíritos humanos encarnados na quarta dimensão, as naves que aparecem nos céus com maior freqüência, provém deste lugar.

"Pertencem aos mesmos Seres que encarnam as Almas em corpos humanos". Apresentam-se para dar testemunho de sua existência e conhecer mais de perto a forma de vida que aqui se manifesta. Ainda não podem estabelecer contato direto, mas tem começado a deixar vestígios de sua presença, através de alguns símbolos que marcam nos campos de trigo.

Sua forma de viajar

Kardiel continuou explicando: Quando uma nave se desloca entre uma dimensão e outra, do mesmo mundo realiza uma Viagem Interdimensional. Nestes casos utilizam-se os cinturões dos campos eletromagnéticos do planeta e as "portas dimensionais" como vias de acesso.

Viagens inter-espaço

Se conhecem como Viagens inter-espaço, disse Arcelia, os que são realizados entre dois mundos com um espaço/tempo diferente. Existem pontos de contato entre um mundo e outro, que se conectam com dutos de "vazio relativo" através dos quais se viaja em tempos muito breves. Assim nós viajamos, vindo desde um dos mundos do Quarto Plano e podemos chegar a vontade, em forma visível ou invisível na terceira ou na quarta dimensão.

Os contatos

Ao chegar ao vosso mundo, disse Kardiel, os contatos mais freqüentes são feitos através de projeções mentais para trabalhar com as pessoas que têm se integrado na Magna Obra de ajuda a todos os Seres Humanos. Em ocasiões, quando necessitamos falar diretamente com uma pessoa, projetamos um holograma que aparece na terceira dimensão, como se nós mesmos estivéssemos presentes. Nossa presença passa desapercebida porque podemos dar ao holograma a forma e roupagem igual a de qualquer habitante. Quando somos visíveis somente para a visão interior do contato não é usado nenhum disfarce, quer dizer, nós projetamo-nos com nossa imagem e roupagem reais.

Manifestações de naves

Arcelia explicou: Se o objetivo de nos manifestarmos é dar a outros grupos a prova palpável de nossa existência, por meio de fotografias, vídeos ou gravações, as naves se apresentam com sua imagem real e os hologramas dos tripulantes se projetam com as roupas espaciais que se utilizam fora da nave.

Outros membros da Hierarquia do Quarto Plano, disse Kardiel, viajam ao Terceiro Plano, principalmente para supervisionar os danos aos ecossistemas, no reino vegetal e animal. Encarregam-se de resgatar e manter com vida qualquer espécime que se encontre em vias de extinção.

Outro tipo de viagens

Arcelia finalizou o tema dizendo: Chamam-se Viagens no Espaço quando se visita outro planeta do mesmo sistema solar. As portas de saída e entrada, estão colocadas em estações espaciais que se localizam fora dos espaços planetários. Conectam-se com "túneis" aonde no seu interior existe o "vazio absoluto", o que permite que a nave se desloque na velocidade da luz. O tempo real é de uns minutos. As viagens no hiper-espaço realizam-se quando uma nave sai do sistema solar para visitar outro sistema solar. As vias ou "túneis" para o deslocamento das naves no hiper-espaço, se formam dentro da galáxia como resultado da convergência de diferentes agrupamentos de espaço/tempo que existem entre um sistema e outro.


O Planeta Terra tem sido visitado

Desde que um Planeta tem as condições aptas para a vida, disse Arcelia, é visitado pelos Engenheiros do Cosmos, os quais realizam de forma sistemática as implantações das diferentes formas de vida vegetal e animal.

Na atualidade, disse Kardiel, o Terceiro Plano não é somente visitado por habitantes do Quarto Plano, também recebem a presença de Seres de Quinto, Sexto e Sétimo Planos. As missões que eles cobrem são muito diferentes das nossas. Por exemplo: os Engenheiros do Cosmos trabalham constantemente no manejo e controle de contingências astrofísicas, como a prevenção dos impactos de aerólitos que possam representar um perigo para a vida no Planeta. Para isso contam com equipamentos e recursos que nós ainda nem sonhamos em compreender.

Outros visitantes

"A multiplicidade de mundos habitados é infinita e a vida tem mais formas de expressão do que podemos imaginar".

Por exemplo, disse Kardiel, podemos informar que a primeira e segunda dimensões no Terceiro e Quarto Planos, estão habitadas por entidades que pertencem a Células Cósmicas diferentes das nossas e que contam com tecnologia mais avançada. Embora nestes momentos, não dispomos de dados suficientes para informar quantos deles os visitam, de onde vêm e qual é o objetivo de suas viagens.

O que sim podemos afirmar, disse Arcelia, é que cada pessoa que tem contato com seu Ser, estará livre de qualquer tipo de experiências desagradáveis.

CAPÍTULO NONO

Para eliminar o corpo denso ou inimigo interior, assim como todas as energias que interferem com o processo vital, em todas as bandas de freqüência, se utilizam estas esferas por um tempo mínimo de três meses.

O Programa de Vida

Vamos explicar em detalhes, disse Kardiel, as cinco disciplinas básicas que deverão observar-se diariamente para que em forma gradual se propicie a integração dos sete corpos. Uma recomendação muito importante é insistir em que se acompanhem minuciosamente as indicações de cada etapa, sem pular nenhum passo, para que a harmonia de todos os corpos se alcance sem ocasionar desordens orgânicas, emocionais ou mentais.

Não é possível, comentou Arcelia, mudar de um dia para outro o funcionamento de um organismo que tem levado toda uma vida com certa forma de viver, de alimentar-se, de manejar suas emoções e de pensar. O fato de apressar o processo somente provocará doença e dor, fazendo com que o indivíduo abandone o Programa sem alcançar resultado positivo algum.

1º Exercício físico diário. Se possível, alternar dois dias da semana com práticas de natação.

2º Aplicação diária das esferas (Ki-nú) durante um mínimo de três meses.

3º Seguir as etapas do programa de alimentação, sem mudar rapidamente de uma dieta para outra, para não desequilibrar o organismo.

4º Praticar somente UM exercício ao dia de projeção mental ou trabalho interior.

5º Ao terminar a aplicação das esferas, é importante continuar três meses a mais aplicando a Unidade de Cristal Samadhi, que iremos descrever neste capítulo.

1º O EXERCICIO FÍSICO

Se a pessoa, disse Arcelia, está acostumada a fazer esporte, iniciará este tipo de exercícios com as quatro rotinas descritas no capítulo quarto, em 45 minutos por dia.

Dois dias da semana se suspendem os exercícios para praticar a natação. As pessoas idosas que levam uma vida sedentária, dependendo de seu estado de saúde, o exercício deve iniciar com a segunda prática que foi descrita, quer dizer, andar com passo firme ao ar livre, 10 minutos e semanalmente, aumentar o tempo de caminhada, até alcançar os 30 minutos. Pode-se alternar a caminhada com dois dias de natação. Isto basta para liberar a energia residual, sem necessidade de trotar nem correr. Ao terminar a rotina do dia, se pratica o Tai Chí.

2º AS ESFERAS

Ki-Nú, esferas de harmonia, disse Kardiel, é o nome que se deu a esta Unidade de cristais, significa nascimento do Ki.

O chí é a energia vital que nos transcende e conecta com o universo. O Ki é a grande força interior.

Cada esfera tem uma base plana não polida, que ao contato com a pele, extrai a energia densa ou contaminada, a filtra e a retorna ao organismo sem alterações.

Para eliminar o corpo denso ou inimigo interior, assim como todas as energias que interferem com o processo vital, em todas as bandas de freqüência, se utilizam estas esferas por um tempo mínimo de três meses.

A forma de colocar as esferas está descrita na folha de instruções que contém a unidade.

3º A ALIMENTAÇÃO

Ao iniciar este tema, disse Arcelia, serão feitas uma seria de considerações para explicar o porque é necessário mudar alguns hábitos.

A vibração alternada

No Terceiro Plano, continuou explicando Arcelia, o organismo do ser humano trabalha em vibração alternada, com constantes aumentos e quedas na voltagem e importantes vibrações na amperagem.

Isto é devido a alimentação que é costumeira neste nível evolutivo, o qual provoca oscilações nos diferentes estados biológicos, mentais e emocionais.

Estas alterações, falou Kardiel, propiciam estados de certeza ou incerteza o qual por um lado favorece o desenvolvimento de outros níveis de consciência, mas também pode trazer conseqüências negativas como o de encurtar o lapso de vida em até 70%.
Este processo forma parte das condições de vida que precisa o ser humano na terceira dimensão.

Ao terminar a etapa humana, disse Arcelia, pode-se mudar o critério na alimentação e modificar as rotinas de exercício com o que faz diminuir as oscilações vibratórias. É necessário mencionar, que neste Programa não se praticam esportes violentos ou de impactos corporais, nem ultrapassa de uma hora o tempo total do exercício.

Os resultados a obter, falou Kardiel, serão: retardar o processo de envelhecimento prematuro e a deterioração acelerada do organismo. A vida se prolongará em forma considerável, desfrutando de excelente saúde.

A forma de alimentar o organismo

A frase que diz "somos o que comemos", continuou falando Kardiel, tem um grande sentido, se a captarmos em toda a sua extensão. Todos os processos metabólicos, nos quais estão os proteicos, carboidratos, gorduras, enzimas, vitaminas, minerais, oligoelementos e água simples, além do ar que respiramos, se encarregam de manter o organismo funcionando com seus aportes de matéria e energia. Se os insumos chegam ao organismo em ordem e com boa qualidade, teremos saúde. Quando chegam em desordem e má qualidade, será manifestada a doença.

É importante informar, disse Arcelia, que ao chegar a quarta dimensão, os exercícios que temos mencionado e a forma de alimentação que vamos descrever (com algumas pequenas variantes), são os hábitos de saúde que se praticam.

Este programa, disse Kardiel, aplicado em forma completa, está dirigido para pessoas com bom estado de saúde a partir dos dezoito anos. As mudanças que se produzem não são recomendáveis para menores de dezoito anos, nem para pessoas maiores de setenta. Não é recomendado implementar para doentes sujeitos a tratamento médico, ou em pessoas delicadas de saúde, nem durante a gravidez.

Tempo de adaptação

Preparação: se sua alimentação ainda não é vegetariana, com o objetivo de ir adaptando o organismo a uma forma diferente de alimentar-se, sugere-se que por um período de três a seis meses seja mantida a Dieta Delta. Esta forma de alimentação é muito completa. Prepara a pessoa que tem se alimentado com fundamento em carnes, para mudar de regime alimentar e seguir o Programa, sem carências.

O peso ideal

Em qualquer idade, o organismo precisa manter seu peso ideal, para alcançar um funcionamento integral mais saudável. O aumento ou a diminuição do peso, desequilibra as funções biológicas em forma direta. Se você tem alterações hormonais que alterem seu peso, é necessário um tratamento médico. Se não tiver tais alterações, nós lhe daremos algumas bases para poder recuperar seu peso ideal de maneira simples.

1º Todos os ingredientes que integram uma Dieta devem ser consumidos, para guardar o equilíbrio de nutrientes que necessita um organismo. Não elimine nenhum deles, pensando que tal ou qual alimento provoca o aumento de peso, para isso é importante cuidar do tamanho de cada porção.

2º Se deseja aumentar ou diminuir de peso, leve em consideração que cada indivíduo necessita ingerir alimentos em função das atividades físicas que realiza.

3º O tamanho de cada porção pode regular seu peso, mas não escolha para comer uma porção maior daquilo que mais goste e outra pequena daquilo que você não gosta. Reduza gradualmente o tamanho de todas as porções se deseja que seu peso diminua. Ou incremente a quantidade de todas, se deseja aumentar de peso ou se realiza atividades que assim o requerem.

4º Para as pessoas com sobre-peso, ao reduzir o tamanho das porções, pode ter a sensação de fome. Para evitá-la, bata no liquidificador farelo de trigo e água. Este recurso lhe dá a sensação de estar satisfeito, além de ajudar no processo de eliminação.

Pode bebê-lo uma ou duas vezes por dia, sem que seu peso aumente. É importante, disse Arcelia, abster-se de consumir café, álcool, refrigerantes de cola e outros que contenham estimulantes. Também se deve evitar o tabaco e qualquer tipo de drogas. Todos eles formam ciclos curtos (ou curto circuitos) que mantém um estado de estimulação constante. São alterados os fluxos da Grande Corrente de Energia Vital, o que impede ou dificulta a integração harmônica dos sete corpos.

Dieta Delta

Pela manhã: Uma porção de um tipo de frutas ou combinadas. Uma colher de sopa com oleaginosas, combinando os ingredientes a escolher: nozes, amêndoas, amendoim, castanha da índia, caju, castanha do Pará, etc. Um copo de iogurte e mel de abelha.

Ao meio dia: Uma porção diferente ao dia de proteína animal a escolher: queijo, ovo, carnes somente de: coelho, cordeiro, boi, pato, frango ou peixe (Eliminar carne de porco, embutidos ou frutos do mar).

Uma porção ao dia de vegetais verdes sozinhos ou combinados: espinafre, rabanete, alface, etc. Uma porção ao dia de vegetais que não sejam verdes:

* Um tipo ou combinados: cenoura, couve-flor, batatas, beterraba, etc.

* Uma porção de leguminosas cozidas: lentilhas, grão de bico, feijão, favas, ervilhas, etc.

Pela tarde: Uma porção ao dia de cereais:

* Arroz, trigo (massa, pizza, pão,etc.) milho e derivados.

* Um copo com leite de vaca, especialmente para as crianças e idosos.

A qualquer momento: beber água simples sem restrição. A Dieta Delta, disse Kardiel, poder ser acompanhada por qualquer membro da família, em qualquer idade, por tempo indefinido, embora não acompanhe o Programa.

Para quem deseja seguir, disse Arcelia, depois dos três primeiros meses, continua-se outros três meses mais com a Dieta Delta, eliminando qualquer tipo de carnes. Somente frango e peixe uma vez por semana cada um deles, ovo e queijo não se eliminam. Nesse momento, o organismo estará preparado para iniciar a Dieta 2000.

Dieta 2000

Para o corpo que já se adaptou a nova alimentação, é mais fácil suprimir todas as carnes. Pode-se continuar preparando os alimentos com ovo e queijo, leite e creme, incluindo diariamente: cogumelos, setas ou brotos (de feijão, de alfafa). Nesta Dieta, a porção de oleaginosas se aumenta de uma colher de sopa ao dia, para três colheres.

Para estabilizar a energia de frutas e vegetais:

Uma vez que foram selecionados alimentos frescos e de boa qualidade, se lavam as frutas e vegetais, sendo submersos durante uma hora numa solução de 10 gramas de Sulfato de Magnésio por litro de água. Em seguida enxagua-se com água limpa. Isto permite que os resíduos de fertilizantes, pesticidas e as bactérias saiam das frutas ou vegetais ficando na água.

Os alimentos preparam-se usando especiarias e condimentos cada vez mais suaves e naturais, para acostumar o paladar a outro tipo de sabores mais simples e delicados.

A apresentação

Excetuando os sucos, o resto dos ingredientes do café da manhã podem-se combinar para preparar um só prato vistoso e saboroso, consumir cada ingrediente como melhor lhe agrade.


Pela manhã:

* Um copo de suco de cítricos.
* Um prato de frutas frescas picadas.
* Iogurte. Mel de Abelha.
* Frutas desidratadas.
* 3 colheres com oleaginosas.


Ao meio da manhã:

*Um copo com salada de vegetais crus com um pouco de brotos.
* Uma porção de vegetais ao vapor com duas colheres com cogumelos ou setas.
* Uma porção de queijo ou um ovo, que pode combinar-se com os vegetais.
* Meia xícara com leguminosas, refogadas ou simplesmente cozidas, para combinar-se com a salada.
* Um prato de cereais cozidos, arroz, macarrão, espaguete, ravióli, pão integral, ou porção de pizza, etc.

Pela noite:

* Um copo de leite se desejar.

A qualquer hora, é necessário beber água simples sem restrição. Com esta forma de alimentação, se inicia o processo de transformação do organismo. Recupera-se o peso ideal e a silhueta se remodela. A digestão, assimilação e eliminação de resíduos se realizam em forma completa e dessa forma se melhora sensivelmente a saúde do indivíduo.

A alimentação e as emoções

Cada um dos sete grupos de alimentos, disse Arcelia, doa sua carga a um determinado "gerador". Se faltar um grupo ou se consume em excesso, o "gerador" produz cargas flutuantes, o que provoca confusão nos sentimentos e emoções do indivíduo.

A ordem que segue o novo regime alimentar da Dieta 2000, comentou Kardiel, harmoniza os biorritmos. O indivíduo expressa suas emoções e sentimentos de forma diferente.

4º A PROJEÇÃO MENTAL

Nas projeções mentais, disse Kardiel, não se deve praticar mais de um exercício por dia, levando a seguinte ordem: Iniciam-se as práticas com o estudo da natureza. Primeiro se conhece em seu conjunto algumas partes ao redor: nuvens, desertos, rios, lagos, mares, etc.

O "operador" se projeta num só lugar. Se não obtiver resultados, não tente ir a outro lugar, descanse sua mente, não se esforce, o esforço produz estresse e o estresse cancela a percepção à distância.

No dia seguinte, tente deslocar seu "operador" para outro lugar diferente. Continue nesta mesma forma, até que o cérebro seja capaz de receber em forma clara o que o "operador" lhe esta transmitindo. Somente com paciência e perseverança, disse Arcelia, podemos obter resultados permanentes.

Para desbloquear um cérebro, que tem permanecido por muito tempo sem manejar este tipo de faculdades, precisamos praticar uma e outra vez, sem deixar de fazê-lo diariamente, até sentir que já dominamos a projeção mental. O que veremos será real, sem que participe a imaginação. É neste momento que poderemos observar em detalhe: uma rocha, um cristal, uma pedra preciosa, um metal, etc. Os seguintes exercícios se realizarão com toda facilidade, sem maiores esforços nem contratempos.

Continuaremos, disse Kardiel, com o reino vegetal. Sem pular nenhuma etapa, começaremos por visitar bosques, selvas, pradarias, jardins, etc. Depois iremos para ver em detalhe: uma árvore, uma flor, um fruto, uma semente, etc. Nesta mesma forma chegamos ao reino animal. Começando por observar ao grupo em seu conjunto. Elefantes, cavalos, lobos, golfinhos, etc. Quando a percepção for nítida, iniciaremos a observação de um animal, tratando de compreender sua forma de vida e atuação que tem dentro da natureza.

O trabalho interior

Quando já se domina a projeção mental, disse Arcelia, cada quatro dias se realiza uma prática de Kung Fú como já expliquei anteriormente, deixando fluir o chí entre um animal e um dos sete geradores. Este trabalho termina quando somos capazes de formar cada uma das chamas de energia. Os demais dias se continua com as práticas de projeção mental aos diferentes reinos.

O trabalho interior profundo

Uma vez que termina este ciclo, disse Kardiel, começa o Trabalho Interior profundo. Para visitar um dos Recintos da Alma, é importante lembrar que se deve chegar a ele, tendo formado previamente o Tao de Diamantes, que garante a completa transparência de pensamentos e emoções.

Estudos em outras dimensões

Nestes últimos trabalhos, disse Arcelia, são práticas muito fortes, precisa-se níveis de concentração muito profundos, se são praticados diariamente, corre-se o risco de "imaginar" em vez de vivenciar uma experiência. Isto se deve porque a mente humana deve adaptar-se gradualmente ao manejo das faculdades da Alma.

Por isso insistimos em que diariamente se deve praticar as projeções de "operadores", deixando uma ou dois na semana para as visitas aos Recintos da Alma. Os dias que desejares visitar a quarta dimensão, disse Kardiel, não esqueças de solicitar ao teu Ser, a autorização para que possas contar com a presença e ajuda de qualquer dos Anjos, pois estamos de serviço, e prazerosamente auxiliamos e damos orientação aos que o solicitam.

CAPÍTULO DÉCIMO

No Terceiro Plano, esclareceu Kardiel, o corpo átmico permanece em forma compacta no Ser Humano, sem intervir em sua forma ou em suas funções, sendo que as funções do corpo são executadas somente através do molde ou corpo de energia e os Programas.

Os sete corpos

No Terceiro Plano, disse Kardiel, o ser humano está formado pelas cinco partes que temos mencionado: a entidade biológica, o corpo de energia sutil, o corpo emocional com seus geradores, o corpo mental com suas esferas e a alma com seu espaço causal. Mas ainda, tem outros corpos para os quais sua descrição temos deixado para este momento, para poder estabelecer a relação que existe entre ambos, estou falando do molde ou corpo de energia e também do corpo átmico.

O corpo de energia

O molde ou corpo de energia, explicou Arcelia,está formado por duas partes que se transportam no óvulo:

1º O holograma que funciona como um sistema de decodificação de dados;

2º O molde ou corpo de energia, em base ao qual as células se organizam, se diferenciam e se localizam nos lugares específicos para formar os tecidos, órgãos, glândulas e sistemas corporais.

Os genes paternos e maternos modulam este corpo lhe dando determinadas características.

Por outra parte, falou Kardiel, os dados dos Programas de: gestação, crescimento, desenvolvimento, reprodução e manutenção vêm contidos no espermatozóide. Estes dados se decodificam no holograma, para converter-se em "linguagem operativa". Passam ao corpo de energia e ai se transmite ao ADN e ARN de cada célula, para manter a forma celular e as funções que deve realizar cada célula, tecido, glândula, órgão ou sistema do organismo.

No Terceiro Plano, esclareceu Kardiel, o corpo átmico permanece em forma compacta no Ser Humano, sem intervir em sua forma ou em suas funções, sendo que as funções do corpo são executados somente através do molde ou corpo de energia e os Programas. O motivo deste livro, disse Arcelia, é prover toda a informação necessária para conhecer e harmonizar os seis corpos. Ao conseguir isso e, aproveitando o acréscimo em vibração do Planeta, pode se descompactar o corpo átmico, o que representa um passo gigantesco na evolução do ser humano.

O que é o corpo átmico?

"É uma estrutura energética de forma antropomorfa e funções perfeitas". Sua mente é uma sétima esfera que envolve toda a cabeça. "O corpo átmico é eterno, não sofre variações nem alterações". "É andrógino, contêm as formas e funções masculinas e femininas".

"Ao encarnar a Alma ou o Espírito numa entidade biológica, se faz evidente uma só imagem do corpo átmico; isto é, manifesta-se a figura e funções do corpo feminino e masculino, dependendo do sexo que vai se usar nessa vivência".

Ao chegar ao Quarto Plano, explicou Kardiel, se nasce com os sete corpos. Quando se atinge o estado Ku Mara, o corpo átmico se descompacta e começa a integrar-se gradualmente ao corpo de energia, até conseguir substituí-lo.

As primeiras mudanças

A transformação que vai se produzindo no indivíduo, é diferente em cada caso. Isto significa que os genes que modulam o corpo de energia, começam a atuar de forma diferente, por causa da carga energética que tem o corpo átmico. Esta carga é muito superior a do corpo de energia.

Em algumas pessoas começa a variar a expressão do rosto, a cor da pele, dos olhos e do cabelo. Em outras, se percebem modificações na altura ou na forma do corpo. Na maioria dos casos, as mudanças se iniciam nas estruturas internas dos órgãos, glândulas e sistemas corporais. Neste processo não há regras, cada caso é diferente.

No caso dos humanos

Isto nos explica, disse Arcelia, o porque se insiste na necessidade de harmonizar os seis corpos. Subir sua freqüência e fazê-los mais sutis, para que se possa aceitar o corpo átmico. Quando o organismo se mantém com baixas freqüências, devido ao consumo de carnes e álcool, ou se trabalha com cargas flutuantes para consumir estimulantes como: café, tabaco, refrescos de cola, maconha, drogas, etc, a descompactação não pode ser realizada, por causa de que organismo não aceita a alta freqüência da carga do corpo átmico.

Estes comentários me fizeram pensar na importância que tem para nós o esforço de incorporar o Programa de Vida, Kardiel e Arcelia mencionavam que no Quarto Plano não é difícil integrar o Programa, já que desde que chega, um indivíduo se integra a forma de viver que ai se encontra. Perguntei-lhe nestas condições: Quanto tempo vivem sem mudar de matéria? Esta foi sua resposta:

Os períodos vivenciais

No transcorrer de todas as etapas evolutivas do Quarto Plano, me disse Kardiel, encarna-se em entidades biológicas cada vez mais sutis. O tipo de corpo determina a duração do mesmo. Vamos considerar em cifras de cem anos terráqueos.
Um Ku Mara pode viver de 250 a 300 anos antes de morrerem suas partes temporárias e encarne numa nova entidade biológica.

Os Anjos, ao receberem um corpo mais sutil que o grau anterior, já podem usar o mesmo corpo por períodos que variam de 500 a 700 anos, antes de mudar de matéria. Neste caso, já não encarnamos em corpos infantis. Ao deixar a matéria gasta, recebemos corpos adultos de um o outro sexo e de raça e características que tenham contemplado o Ser de cada um, segundo seu Plano de evolução. Os Arcanjos, Serafins e Avatares encarnam, também em corpos adultos, mas a duração de suas entidades biológicas, chega aos mil anos.

A consolidação do corpo átmico

Através de todas as encarnações no Quarto Plano, disse Arcelia, o corpo átmico vai consolidando suas estruturas. Ao final desse Plano evolutivo, como Luces e Avatares, o corpo átmico completa seu processo. Se foi consolidado, pode continuar assim sua ascensão evolutiva.

Ao passar ao Quinto Plano, terminam as tríades. A alma do Avatar e o Espírito de Luz, com seus correspondentes corpos átmicos, unem-se a seu Ser para formar entre os três uma única unidade.

As três pessoas formam ao ser integrado masculino. Em idêntica forma, a Alma do Avatar e o Espírito de Luz femininos, encarnados em seus corpos átmicos, se integram a seu Ser para formar o Ser Integrado feminino.

Os Engenheiros do Cosmos, disse Kardiel, já não reencarnam. Em casais os Seres Integrados vivem no Quinto Plano. A partir desse momento, a Mente Cósmica os guia, presente no Germe da Vida, o qual é o Centro Vital da Célula Cósmica a qual pertencem.

Como descompactar o corpo átmico?

Uma vez que temos falado da importância de integrar os sete corpos, continuou explicando Kardiel, vamos descrever a última etapa desse processo. Ao chegar ao cubo central da Alma, no Recinto Violeta, nos encontramos com a energia da Divina Transmutação, com ela pode-se "descompactar" o corpo átmico. O procedimento não é complicado, se tomamos em conta que durante vários meses se seguiu o Programa de Vida em forma disciplinada, fato que fará que o corpo, as emoções e a mente estejam em harmonia. Tudo isto terá subido a freqüência vibratória, preparando ao organismo para receber o corpo perfeito.

O corpo perfeito

O trabalho interior, disse Arcelia, se realiza assim: Trabalha na transparência de teu corpo, eliminando qualquer moléstia física. Trabalha na transparência da tua mente, evitando qualquer tipo de pensamento. Forma o Tao de Diamantes para que cada gerador encontre-se livre de emoções. Nesse estado, projeta um "operador" ao centro do Recinto Violeta. Sem fazer nenhum esforço, sinta a Divina Energia da Transmutação. E, deixe-a que invada todo teu corpo.

O corpo perfeito que tem permanecido compactado em teu interior, se desdobra neste momento. Manifesta-se com a figura feminina ou masculina, de acordo com tua atual sexualidade. O homem tem um corpo perfeito masculino e a mulher tem um corpo perfeito feminino.

O Rosto do Anjo

Arcelia continuava dirigindo esse trabalho: Agora, observa a perfeita harmonia nas linhas de teu rosto, estás olhando o Rosto do Anjo que por séculos tem levado dentro de ti. Observa como seu corpo perfeito começa a se entrosar com tua cabeça, tronco e extremidades.

Começarás a sentir como todo teu corpo se transforma. Agora tuas mãos, teus pés, teu tronco, tua cabeça e teu rosto são diferentes aos que tinhas, agora são perfeitos. "O encaixe entre teu corpo perfeito e tua matéria começou. A integração ira consolidando-se, na medida em que mantenhas a harmonia entre os outros corpos. Isto garante que o nível de alta vibração se mantenha e o processo de transformação não seja interrompido".

Na parte energética, explicou Kardiel, a mudança já foi iniciada e não será suspensa, a menos que baixe violentamente tua freqüência vibratória e teu corpo perfeito se volte a compactar. (Isto pode acontecer ao voltar a consumir carnes, estimulantes ou ao voltar a estados emocionais alterados ou por observar filmes de alto conteúdo de agressão).

Uma vez ao mês poderás voltar ao Recinto Violeta, sentir a energia da Divina Transformação e observar os avanços. A mudança não se fará perceptível de imediato, mas pouco a pouco, na medida em que vão se integrando os dois corpos, o de energia e o átmico, as mudanças se farão evidentes.

A força do novo corpo supera a da anterior, pelo que a forma e as funções de teu organismo irão mudando, para conseguir um corpo mais perfeito cada dia.

As primeiras mudanças

Neste processo, disse Arcelia, os ritmos vitais começarão a variar, a freqüência cardíaca se faz mais harmoniosa, a respiração é mais rítmica, inclusive pode descer um pouco a tensão arterial permitindo um fluxo sanguíneo mais livre, sem que isso lhe cause nenhuma moléstia nem preocupação.

Perceba que teu corpo é cada vez mais sutil, pelo que o peso pode diminuir, sem se alterar tua forma. O que acontece é que, ao fluir todas as correntes em forma mais livre, estará mais estilizado e harmônico.

Samaddhi

Agora, disse Kardiel, vamos falar de uma nova Unidade. Quando o corpo átmico tem entrosado com o corpo de energia, é necessário "fixá-lo" para evitar flutuações entre ambos. Para isso é necessário conhecer os 22 pontos de contato que intercomunicam ambos os corpos.

Solicitamos a Marla que desenvolva uma Unidade de cristal que localizara uma pedra muito especial que nos oferece o tipo de energia que é necessária para conseguir que este contato seja permanente. A esta Unidade se deu o nome de Samaddhi, que significa liberação.

A Unidade esta formada por um quadrado de vidro polido de 9mm de espessura. Na parte inferior tem gravada uma espiral e na parte superior, uma hélice dupla, á que se adere a pedra Damburita fragmentada. Esta pedra tem a propriedade de ceder um tipo de cargas energéticas as quais se harmonizam em ressonância com o corpo de energia.

1º Cada ponto de contato deve ser limpo de qualquer tipo de contaminação entre as três bandas. Quando a espiral se encontra em contato com a pele, o primeiro que produz é a extração de contaminações que estão presentes na zona de trabalho. Em uns quantos minutos, se consegue uma limpeza energética completa.

2º Em cada ponto de contato se deverá eliminar qualquer tipo de deformação do holograma e a micro holografia, para permitir que o entrosamento com o corpo átmico seja perfeito.

Passados os minutos indicados para a extração da contaminação, começará a fluir a energia da Damburita, a qual, ao fazer contato com as estruturas do holograma e a micro holografia, a reforça, a estabiliza e assim corrigem qualquer tipo de deformação.

Samaddhi cumpre as duas funções, quer dizer limpa e estabiliza os 22 pontos de contato do corpo de energia eliminando contaminações e/ou alterações. A forma de aplicar a Unidade e os tempos de aplicação, vem descrita no instrutivo.

CAPÍTULO DÉCIMO PRIMEIRO

Lembremos sempre que a Felicidade é o supremo Dom que Deus nos dá ao servir em amor aos nossos semelhantes.

O "Mundo Virtual"

Kardiel estava visivelmente emocionado quando começou a tocar neste assunto: Porque insistimos tanto no processo de transformação do ser humano? Vocês se perguntarão. Que tipos de mudanças o planeta enfrentará?

Como já mencionamos, o "mundo virtual" é uma réplica exata das estruturas energéticas do Planeta. Está plasmando-se há vários anos e terminará com um contato completo, em menos de cinco anos.

É interessante observar, disse Arcelia, os dois fenômenos mais importantes que acontecem ao mesmo tempo. Um a nível planetário e outro no interior do ser humano que se transforma.

Sim, disse Kardiel, o "mundo virtual" está acoplado com as estruturas energéticas do planeta, e o corpo átmico entrará em contato direto com o corpo energético do ser humano. Ambos se preparam para uma nova forma de viver.

Neste livro, disse Kardiel, nos referimos apenas aos efeitos que se manifestarão na 3ª dimensão do Terceiro Plano, como conseqüência da materialização de um novo Mundo, e sua integração final com as estruturas atuais do Planeta Terra.

O novo espaço/tempo

A freqüência vibratória do "mundo virtual", disse Arcelia, é mais alta que a do Planeta, é semelhante a da zona fantasma. É necessário esclarecer que neste momento, a zona fantasma não é um mundo paralelo, nem tem vida própria. É somente um espaço que compartilha as estruturas do mundo real, em um tempo diferente. Ao formar-se o novo mundo nesse mesmo espaço, a zona irá se converter em uma dimensão alterna, quer dizer num mundo com vida própria.

Um mundo em "gestação"

A linha Bond, começou a explicar Kardiel, na realidade é um gigantesco campo de força, lembremos que o Planeta Terra demora 40 anos em atravessá-lo. As estruturas deste campo geram no seu interior, "ambientes elétricos" que propiciam o surgimento de novas formas que se plasmam em todos os mundos que o atravessam.

No início, a formação do "mundo virtual" de produz em forma energética. Gradualmente, a imagem consolida-se. As formas plasmadas se convertem em partículas que por sua vez formam átomos e moléculas.

O novo molde energético, forma sua matéria dos "ambientes elétricos" da Linha Bond, os quais funcionam como o "liquido amniótico da gestante", até converter o mundo virtual, em um mundo real com matéria e energia.

Estamos falando, disse Arcelia, da formação de um novo mundo com sua própria matéria e energia, que será apto para a vida em todas suas manifestações.

A forma do novo mundo, continuou explicando Kardiel, é idêntica a que tem na 3ª dimensão. Na réplica virtual, estão formando-se os mesmos continentes, os mesmos mares, rios, lagos, lagoas e vulcões, serão as mesmas imagens da geografia com idêntica orografia e hidrografia.

O processo, disse Arcelia, começou faz 15 anos com os fenômenos da atomização, que concluíram com a consolidação da nova estrutura de: a crosta terrestre, a água de mares, rios, lagos, lagoas, as diferentes capas atmosféricas que formam o ar, assim como os demais ambientes necessários para a vida.

Está surgindo o novo mundo, onde todos os sonhos de viver em paz e harmonia podem realizar-se.

Desintegração e integração

Como a Ave Fênix que renasce de suas cinzas, falou Kardiel, o novo mundo surgirá integrando-se ao anterior. A carga energética do "mundo virtual" está elevada a 2ª potência, em relação com a estrutura energética do mundo atual. Ao integrar-se ambos os mundos, o novo será o dominante.

A desintegração das estruturas desgastadas, disse Arcelia, igual ao que acontece no Ser Humano com seu corpo átmico, se manifesta em forma gradual e simultânea a integração das novas formas. O fenômeno é produzido pela vibração ultra-sônica que é gerado ao integrar dois mundos com freqüências vibratórias diferentes, sem provocar reações em cadeia nem explosões.

A dissociação das formas anteriores, explicou Kardiel, alcança os níveis mais profundos, não só da matéria, mas também das estruturas básicas da energia, ao mesmo tempo em que estas são substituídas pelas novas formas.

Na réplica, disse Arcelia, gravam-se todos os estratos geológicos com tudo o que neles existe em forma natural. Os vestígios de civilizações anteriores, pirâmides e catedrais e tudo o que tem um desenho geométrico perfeito, tão pouco se dissocia, já foi gravado e aparecerá no novo mundo.

Ao ouví-los fiquei pensando: não desaparecerá Teotihuacan, Nazca, Tiahuanaco, Queops, Guisé e tantas outras maravilhas que existem atualmente. Sua perfeita estrutura geométrica é o que permite que sejam gravadas e possamos observá-las no novo mundo.

No entanto, disse Kardiel, todas as manifestações da cultura cuja base não tem uma perfeita geometria, se dissociam. A parte positiva de tudo isto, é o desaparecimento das armas nucleares, lixo atômico e demais contaminantes que foram acumulados de forma artificial.

A renovação dos mundos

Este fenômeno, continuou explicando Kardiel, tem acontecido em forma periódica, desde a formação de cada Sistema Solar. Cada 6.000, 12.000 ou 25.000 anos, os planetas se renovam ou se mantêm sem mudanças, dependendo do momento de inércia na qual se encontra em um Sistema Solar dentro da galáxia e do grau de equilíbrio que mantenha cada Planeta.

Quando os mundos atingem um nível de máxima contaminação, que ultrapassa o ponto de equilíbrio, ao passar por uma das Linhas que formam os raios do campo gravitacional na Via Láctea, começa o processo de transformação. Ao final, os novos mundos aparecem como dimensões alternas ou mundos paralelos, até que finalmente integram-se completamente ao mundo anterior.

A renovação da vida

Agora, disse Arcelia, vamos falar da vida no novo mundo. Como você bem sabe, me disse, a vida não se gera em forma espontânea nem no reino vegetal, nem no reino animal. Durante todo o processo de integração, é necessária a presença dos Engenheiros do Cosmos, para transportar de um mundo a outro as espécies já existentes e para "semear" as novas espécies.

Não voltarão, interveio Kardiel, as espécies que têm permanecido neste mundo nos últimos tempos, somente as que possam adaptar-se à nova vibração, mas como mencionou Arcelia, também haverão novas espécies. Primeiro chegarão as espécies do reino vegetal e posteriormente, as do reino animal. Todas elas terão de iniciar diferentes processos de ambientação para sua nova vida no novo mundo.

Habitantes de dois mundos

Cada Ser Humano, explicou Kardiel, que consiga elevar sua freqüência vibratória, estará vivendo ao mesmo tempo em ambas as dimensões. Podem estar conscientes disso ou não, o que acontece é que, sem intenção proposital e sem fazer esforço algum, ao respirar, estarão respirando o ar limpo do novo mundo, já que seu padrão não aceitará o ar contaminado de baixa vibração que ainda se respira na 3ª dimensão. Pelas mesmas razões ao ir ao mar, se beneficiarão da água limpa do novo mar, sem que a água do mar contaminado os toque.

Continuarão vivendo no mesmo lugar e se alimentarão com os produtos da 3ª dimensão. Sua vida seguirá sem mudanças aparentes, até que sua vibração lhes permita viver plenamente no novo mundo, o qual já contará com as condições necessárias para ser povoado.

As ajudas

Os seres humanos, disse Arcelia, que passem de um mundo para outro, antes de viver em forma definitiva no novo mundo, terão um tempo de adaptação e adequação até que o novo mundo esteja pronto para ser habitado.

Nós, os Anjos Guias, disse Kardiel, atuaremos ao lado dos recém chegados. Nossas projeções holográficas serão visíveis para todos. Mostraremos as partes do caminho que já percorremos, sem interferir com o desenvolvimento de sua mente. Daremos todo o apoio necessário para construir moradias, indústrias, empresas, meios de comunicação e de transporte, sem que nada disto destrua o meio ambiente ou o contamine.

Dos alimentos, disse Arcelia, não tem por que preocupar-se, as espécies do reino vegetal se encontrarão disponíveis na vastidão do novo mundo. Durante todo esse processo, explicou Kardiel, lembremos que irão passando de uma dimensão para a outra, todas as pessoas cuja vibração tenha sido elevada e tenha um corpo compatível com a freqüência do novo mundo.

A comunicação com sua Presença Divina, além de proteção, lhes dará orientação e ajuda. Uma vez que o Planeta esteja apto para morar, o estudo e a reflexão lhes permitirão planejar uma nova forma de viver.

Novas formas de viver

É o momento de pensar, disse Arcelia: O que desejam os Seres Humanos? Como começarão a planejar sua nova forma de conviver, de estudar, de trabalhar em harmonia? De que formas vão se organizar?

É a grande oportunidade e ao mesmo tempo a enorme responsabilidade que se apresenta para os primeiros que atravessam o umbral dimensional.

Estas pessoas serão os que vão planejar, organizar e dirigir a nova ordem e o esquema de vida que vai reger o Planeta. A comunicação com outros grupos, disse Arcelia, será respeitosa e sem prejudicar ninguém, as reuniões estarão livres de egoísmos, tudo isso ajudará a estabelecer as bases da nova convivência pacífica. Será planejado o mundo que têm sonhado todos os que buscaram a harmonia dentro e ao redor de si mesmos.

Finalmente, uma vez que estejam organizados, deverão preparar-se para receber e orientar aos que continuarão chegando dia a dia. As pessoas que desencarnaram antes, disse Kardiel, atualmente se mantêm em "vida suspensa". Durante o "sonho", seu Ser lhes têm dado toda a informação do que está acontecendo, o que lhes permitirá no momento de acordar, saber que estão chegando a um novo mundo, no qual encontrarão seus entes queridos.

Se existisse algum perigo

Vamos dar-lhes uma informação, disse Kardiel, do que acontece quando os fenômenos de integração não se produzem em forma organizada. Embora esta eventualidade não seja freqüente, existe a possibilidade de que se apresente neste Planeta. Ao incorporar-se dois mundos na etapa final, ambos devem coincidir em seus 22 pontos básicos, para que a energia que se libera, flua sem provocar grandes catástrofes a nível planetário.

Quando a integração não é coincidente, disse Arcelia, a energia não flui pelos pontos básicos de contato. Toda esta energia se acumula em forma arbitrária e ao liberar-se, o faz violentamente, provocando graves desordens que quebram a relativa estabilidade nas placas tectônicas e nos vulcões. São provocados terremotos, o clima é alterado de forma substancial, criando terríveis furacões, tormentas, nevadas e maremotos.

Estas mudanças, falou Kardiel, podem ser de tal magnitude que podem destruir toda forma de vida. Em qualquer planeta e para todas as dimensões, quando a vida esta armazenada em forma global, se aplicam as medidas necessárias para preservá-la.

Os Planos de contingência

Vamos mencionar, disse Arcelia, alguns dos preparativos que existem para preservar a vida em todas suas manifestações.

1º Os Engenheiros do Cosmos construíram para cada mundo, milhares de cidades nave que se encontram em forma permanente nas zonas de "vácuo relativo" do espaço planetário. Neste espaço o tempo não os afeta. Sempre estão prontas para atuar a qualquer momento.

2º Cada uma destas naves tem capacidade para milhares de conjuntos de moradias, semelhantes aos que descrevemos na cidade nave de Vênus, quer dizer, tem ambientes, jardins e pequenos lagos em seu interior.

3º Em cada conjunto de moradias existem centenas de unidades familiares, parecidas com a nave que nós usamos para viajar ao vosso mundo. Isto significa que contam com todas as comodidades para poder viver nelas, em forma auto-suficiente, pelo tempo que for necessário.

Nelas, continuou explicando Arcelia, pode ser preservada toda forma de vida humana, vegetal e animal, que exista em qualquer dos mundos que vivem estes processos. Os Seres humanos e qualquer outra forma de vida serão devolvidos ao seu Planeta no momento que este seja completamente apto para morar.

Quem trabalha neste processo?

Quando estes eventos acontecem em planetas de Terceiro Plano, disse Kardiel, a maior parte da população mundial viaja em "vida suspensa".

As Hierarquias do Terceiro e Quarto Plano, se encarregam de organizar o processo, o qual se realiza por países, num tempo total de oito horas. Os Arcanjos se encarregam de transladar para as naves os seres humanos. O meio utilizado é chamado de ascensão, quer dizer que cada pessoa é tele-transportada para a cidade nave, sem estar consciente deste processo. Os Serafins vigiam os processos da "vida suspensa". No transcorrer do "sonho", o Ser de cada indivíduo lhes informa todo o processo pelo qual seu planeta está atravessando, para evitar sua confusão ao acordar.

Os que viajam acordados

Todas as pessoas que elevaram sua freqüência vibratória, disse Arcelia, já estão com corpos adaptados para viver, estudar e usufruir da vida na cidade nave, enquanto aguardam que seu mundo se transforme em um lugar habitável. Todos eles viajam acordados, mesmo que o translado para a nave se realize de forma inconsciente.
Antes de recuperar seu estado de vigília, seu Ser lhes informa aonde encontram e o que aconteceu.

Para eles, chegar na cidade nave vivos e acordados, representa uma espécie de "entrada no céu". E, ainda quando a maioria dos acordados já estudaram todos estes temas, não deixaram de surpreender-se ao viver esta realidade. Sabem em todo momento em que lugar se encontram e em que estado estão seus familiares, incluindo os que no momento de ser transportados, viviam em outro País.

Os Planos para o novo mundo

Entre todos eles, disse Kardiel, se estabelece a comunicação com moradores de outros países, que viajam em outras naves. Discutem-se e preparam-se os programas. A maior parte de seu tempo é usado em capacitar-se para voltar como os organizadores e dirigentes do novo mundo. O nível de harmonia que se desenvolve entre eles, permite pensar que na verdade o novo mundo surgirá como um Planeta onde reina o amor, o respeito e a paz.

Um Mundo em transição

O novo mundo, disse Kardiel, será considerado como Planeta em transição de Terceiro a Quarto Plano, com suas correspondentes dimensões alternas, totalmente em condições de morar.

Estará povoado somente por Seres Humanos que reúnam as seguintes características:

* Os que tenham concluído sua evolução no Terceiro Plano ou aos que lhes falte no máximo 2.000 anos.

*Os "anjos caídos" que pertencem a um Quarto Plano, mas que ainda tenham cargas pendentes em seu espaço causal.

Estes grupos representam as duas terceiras partes da população atual do Planeta.

Lembremos, disse Arcelia, que a evolução no Terceiro Plano se realiza num período de 25.000 anos. Atualmente, neste Planeta vivem grupos que tem chegado em diferentes épocas. Seu nível de evolução é diferente em cada caso. Tem algumas pessoas que apenas levam 2000 ou 3000 anos de evolução, pelo que necessitam as condições e características que tem os mundos do Terceiro Plano, para completarem suas etapas de trabalho.

É importante esclarecer, disse Kardiel, que ao apresentar-se algum perigo para a vida no Planeta, todos os moradores, sem importar seu grau evolutivo serão transportados às cidades naves. Agora vamos analisar com mais detalhe, quais deles voltarão ao novo mundo e quais irão a outros lugares mais apropriados para sua evolução.

1º Como mencionei, voltarão ao novo mundo todos os que terminaram sua evolução no Terceiro Plano ou estavam ao ponto de terminá-la.

2º Os "Anjos Caídos", se seu espaço causal está limpo, voltarão ao lugar que deixaram antes da descida. Em caso contrário voltarão ao mundo de transição, para realizar os labores de Servir que lhes permitam limpar suas cargas pendentes.

3º Os indivíduos cuja evolução humana se encontre com menos de 23.000 anos, voltarão a um Planeta de Terceiro Plano para continuar sua vida num lugar que lhes dê a oportunidade de completar o tipo de experiências e vivencias que precisa sua Alma ou seu Espírito.

4º Por último, os indivíduos que tenham terminado sua evolução no Terceiro Plano, mas que tem em seu espaço causal cargas que superam o limite superior para subir sua freqüência vibratória, serão transladados a outro mundo de Terceiro Plano, até que possam esgotar tais cargas.

A volta

Ao voltar ao novo mundo, disse Arcelia, os que viajaram acordados contarão com o mesmo tipo de ajuda que foi descrito antes. Quando as etapas de organização estiverem concluídas, começarão a chegar os que ainda "dormem". Todos eles voltam com corpos sadios, adaptada sua vibração à nova freqüência do Planeta, mas sem que seu corpo átmico tenha sido descompactado, nem sua mente faça uso faculdades superiores. Esta será sua primeira tarefa pessoal para alcançar o nível evolutivo que os demais conseguiram.

O trabalho de ensinar, disse Kardiel, estará a cargo dos que viajaram acordados. Este trabalho terá de ser realizado em condições de amor e humildade, com respeito para quem não sabe ou para aquele que não deseja aprender.

Quando aquele que ensina compreende que o ensino se oferece sem sinais de soberba e intolerância, se manterá numa evolução ascendente, evitando assim converter-se mais tarde num "anjo caído" que precise passar por novas etapas de ajuste.

A volta, para todos os que chegam, disse Arcelia, depois de 25.000 anos de uma difícil etapa evolutiva é uma benção. É a possibilidade de construir um paraíso de acordo com os desejos de ordem e harmonia, no qual se preserve a paz através do respeito as idéias.

CONCLUSÕES

Não se pode informar, disse Kardiel, se este Planeta vai se entrosar corretamente ou se a população deverá ser transportada às cidades nave, por causa dos fenômenos que estão se produzindo dia a dia e as modificações de tais eventos se corrigem instantes antes que aconteçam.

A melhor forma de esperar as mudanças, disse Arcelia, é continuar com as atividades que cada um está realizando, até que o novo mundo seja uma realidade tangível para todos. É a única forma de não desprezar a economia de ninguém, nem de alterar a ordem das coisas.

O Programa de Vida, disse Kardiel, representa a saúde para todos. O caminho interior foi indicado. Tem-se a informação necessária para percorrer este caminho de Luz sem ajuda de ninguém, já que o Ser de cada um em contato direto ou indireto os guia.
A grande Lei de Causa e Efeito, disse Arcelia, faz evidente a igualdade e perfeição da Justiça Divina. Trabalhemos constantemente em nós mesmos para não esquecê-la jamais.

Mantenhamos nossos olhos bem abertos para não cair em tentações que deslumbram, como as drogas e o álcool e que nos impeçam de ver a verdadeira luz. Lembremos sempre que a Felicidade é o supremo Dom que Deus nos dá ao servir em amor aos nossos semelhantes.

Fonte: http://www.vialuz.com/


Atendimento em sessões individuais em Santos.
Av. Ana Costa nº 484 - cj 1020. Santos/SP.
Tel.: (13) 3289.1230



 
Se algum link do site não abrir fale comigo pelo email - estilonet@estilonet.com.br
Estilonet